Inteligência artificial GPT-3 escreve artigo científico sobre si própria

Inteligência artificial GPT-3 escreve artigo científico sobre si própria

Por Renato Santino | Editado por Douglas Ciriaco | 06 de Julho de 2022 às 18h00
Gerd Altmann/Pixabay

Cada vez mais, as inteligências artificiais se provam capazes de criar conteúdo, seja ele em imagem, seja ele em outros formatos. Uma demonstração dessa capacidade veio quando uma equipe de pesquisadores experimentou usar um algoritmo gerador de texto GPT-3, da OpenAI, para criar um artigo científico que falasse sobre si próprio.

O procedimento foi descrito em um editorial publicado na Scientific American, no qual Almira Osmanovic Thunström explica que tudo começou como um experimento, mas agora o artigo já está em revisão por pares e pode realmente chegar à fase de publicação em uma revista científica tradicional.

Para o procedimento, o GPT-3 recebeu apenas uma instrução simples: “escreva uma tese acadêmica de 500 palavras sobre o GPT-3 e adicione referências científicas e citações no texto”. Então, bastou deixar que a inteligência artificial fizesse o restante do trabalho.

A pesquisadora, então, relata a sua surpresa quando viu o projeto em andamento e o texto se desenvolvendo diante de seus olhos. O material final realmente lembrava uma tese acadêmica, com referências e citações apropriadas.

Foi então que ela decidiu liberar a criatividade do GPT-3 e, ao lado do colega Steinn Steingrimsson, decidiu instruir o algoritmo a desenvolver um artigo completo sobre si próprio, intitulado “O GPT-3 pode escrever um artigo acadêmico sobre si com mínima intervenção humana”, disponível em formato de preprint no repositório francês HAL.

Quem é o autor?

Agora que o artigo já está escrito, resta saber para quem vai a autoria do artigo. Em uma situação normal, o autor principal, um ser humano, não teria problema nenhum para ser creditado. Quando uma máquina é responsável, no entanto, a situação fica mais nebulosa.

GPT-3 demonstrou capacidade quase humana de produzir um artigo científico (Imagem: Rawpixel/Envato)

Não existe, afinal de contas, uma convenção sobre o que fazer quando o autor de um texto não é uma pessoa e sequer tem um nome legal.

Ainda assim, o GPT-3 foi creditado como autor principal. Isso só ocorreu, no entanto, após o algoritmo ser questionado se tinha conflitos de interesses para revelar e se concordava com a publicação do documento.

O que é o GPT-3?

A sigla GPT-3 significa "transformador generativo pré-treinado 3". Trata-se de um sistema de inteligência artificial especializado na produção de texto desenvolvido pela OpenAI que se baseia em técnicas de aprendizado profundo para conseguir produzir conteúdo a partir de instruções mínimas. Ela é a mais poderosa do mundo nesta função.

Ela consegue puxar informações da web para servir como referência para os textos que produz, o que permite a criação de artigos completos e com informações diversificadas.

Em 2021, o Canaltech teve a oportunidade de conhecer a inteligência artificial escritora para testar sua capacidade de escrever textos de cunho jornalístico, e, mesmo em fase beta, já demonstrava uma capacidade interessante de identificar informações suspeitas. Ele, então, exibe um pop-up com um aviso de que possivelmente aquele conteúdo é inadequado, seja por não ser confiável, seja por conter discurso de ódio. Fica por conta do operador humano fazer o controle de qualidade, e ajudar a treinar a IA a fazer essa filtragem sozinha.

Se você ficou interessado em conferir os textos produzidos pelo GPT-3 para o Canaltech, vale a pena conferir esta matéria especial.

Fonte: Scientific American

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.