Iron Dome | Conheça a tecnologia por trás do escudo antimísseis de Israel

Por Gustavo Minari | Editado por Douglas Ciriaco | 17 de Maio de 2021 às 11h45
Wikipedia Commons/Israel Defense Forces

Sistema antimíssil de Israel, o Domo de Ferro (Iron Dome, em inglês) ganhou destaque na mídia nos últimos dias após interceptar mísseis durante a mais recente deflagração do conflito entre israelenses e palestinos.

Segundo o porta-voz das Forças de Defesa de Israel, Jonathan Conricus, o escudo de proteção conseguiu detectar, rastrear e destruir 90% dos mais de 1.600 foguetes disparados na Faixa de Gaza antes que eles atingissem o alvo principal.

Quer ficar por dentro das melhores notícias de tecnologia do dia? Acesse e se inscreva no nosso novo canal no youtube, o Canaltech News. Todos os dias um resumo das principais notícias do mundo tech para você!

Como funciona o Iron Dome

O Domo de Ferro é capaz de detectar mísseis lançados em um raio de até 70 quilômetros. A resposta vem por meio de outro foguete disparado pelo sistema de proteção, com um tempo que varia de 15 a 90 segundos, dependendo da velocidade e da distância da ameaça.

Todo o sistema é formado por três elementos essenciais para garantir a eficácia do escudo protetor. Um radar para detectar e rastrear, um centro de controle de armas e uma unidade de disparo dos mísseis, pronta para agir ao menor sinal de alerta.

Quando um foguete rival é detectado pelo radar, o centro de controle recebe um aviso, calcula a trajetória e o possível ponto de impacto. Se o local for uma área habitada, o sistema lança um míssil programado para explodir perto do projétil considerado invasor, causando a sua destruição imediata.

Bateria de lançamento de mísseis do Domo de Ferro (Imagem: NatanFlayer/Wikipedia Commons)

Escudo caro

Cada míssil protetor tem cerca de três metros de comprimento e 15 centímetros de diâmetro, pesando pouco mais de 90 quilos. O governo de Israel possui um total de dez baterias de lançamento ativas para proteger suas fronteiras.

Um disparo feito pelas baterias do escudo custa aproximadamente 66 mil euros, ou R$ 425 mil em conversão direta. As Forças de Defesa de Israel estimam que o sistema já conseguiu interceptar mais de dois mil ataques, que teriam como alvo áreas populosas do país.

Míssil usado para interceptar foguetes inimigos (Imagem: Bin im Garten/Wikipedia Commons)

Por causa dos custos altos de operação, se o rastreamento feito pelo centro de controle do sistema de defesa constatar que o míssil não vai atingir cidades ou vilarejos habitados, o Domo de Ferro não entra em ação.

Sistema antigo

O princípio do Iron Dome começou a ser desenvolvido em 2007, mas o sistema só ficou operacional em 2011, mesmo assim com uma taxa de eficácia que ficava em torno de 70%, segundo dados da Força Aérea de Israel.

O teste de fogo veio durante a operação Pilar de Defesa para tentar eliminar militantes palestinos do Hamas em 2012. Segundo o governo israelense, o escudo de proteção conseguiu interceptar 85% dos mísseis disparados na Faixa de Gaza naquela época.

Atualmente, o sistema foi atualizado e recebeu sensores adicionais para aumentar sua taxa de eficiência em todo o território de Israel. Mas a tecnologia embarcada no Domo de Ferro tem seu preço: hoje, o escudo completo com unidades de controle, radares e baterias móveis de lançamento, que podem operar de qualquer lugar do país, custa cerca de US$ 50 milhões — aproximadamente R$ 265 milhões.

Fonte: DWRADS, TV Militar

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.