Hyperloop é testada e quebra recorde de velocidade, atingindo 385 km/h

Por Redação | 19 de Dezembro de 2017 às 17h25
divulgação

Se você é um esntusiasta do tubo de vácuo que pode transportar pessoas e mercadorias utilizando velocidades alucinantes, como o Hyperloop de Elon Musk pretende oferecer, você vai ficar feliz em saber que o sonho que você e Musk dividem está próximo de se tornar realidade e tem se saído muito bem nos testes. 

Na semana passada, um tubo de vácuo construído para que as tecnologias que serão aplicadas ao Hyperloop pudessem ser devidamente testadas, situado num deserto em Nevada (EUA), foi cenário de novos testes. Com uma cápsula de 8,5 metros dentro do tubo de vácuo que apresenta um percurso de pouco menos de meio quilômetro, um novo recorde de velocidade foi alcançado: o vagão tech chegou a se deslocar com rapidez superior a 385 km/h. A maior velocidade já atingida pela criação de Musk havia sido 355 km/h, durante um teste ocorrido em julho desse ano, também extremamente bem sucedido.

Como sempre associamos, por segurança, que velocidade é um problema para o deslocamento urbano, pois seu excesso gera acidentes e mortes no trânsito todos os dias e em todo o mundo, sentimos que o futuro realmente chegou quando pensamos na possibilidade de nos deslocarmos de forma tão rápida e segura. Para fazer um comparativo, imagine uma linha reta que ligue o ponto mais extremo do norte do Brasil, Oiapoque (AP), ao ponto mais extremo no sul do país, Chuí (RS) em seus 4.200 km de extensão. Com a rapidez atingida no último teste da Hyperloop, seria possível fazer essa viagem em apenas 11 horas. Num carro com velocidade média de 70 km/h, o percurso levaria, em linha reta, 5 dias e 6 horas. 

Ficou na curiosidade para saber como é estar dentro desse tubo de rapidez? A WIRED teve acesso ao teste e mostrou tudo num vídeo em primeira pessoa que pode ser conferido aqui:

Participe do nosso GRUPO CANALTECH DE DESCONTOS do Whatsapp e do Facebook e garanta sempre o menor preço em suas compras de produtos de tecnologia.

Fonte: Wired

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.