Drones usam algoritmos para localizar pessoas perdidas em florestas

Drones usam algoritmos para localizar pessoas perdidas em florestas

Por Gustavo Minari | Editado por Douglas Ciriaco | 02 de Julho de 2021 às 07h30
Reprodução/JKU

Pesquisadores da Universidade Johannes Kepler, na Áustria, criaram um drone autônomo que pode ajudar em missões de busca e resgate de pessoas perdidas em locais de difícil acesso, como em florestas muito densas ou montanhas onde o campo de visão é extremamente restrito.

A nova tecnologia utiliza algoritmos especiais implantados em um sistema de câmeras que facilita a observação através da copa das árvores. Além disso, o dispositivo consegue mapear e destacar pessoas, paradas ou em movimento, que estejam sob grandes áreas de mata fechada com visualização reduzida.

Mais eficiente

Ao contrário de socorristas em aviões e helicópteros, que têm dificuldades para enxergar debaixo da cobertura de árvores, ou de sensores térmicos, incapazes de fazer leituras precisas sob a vegetação, os drones têm se tornado uma opção viável para encontrar vítimas perdidas ou feridas.

Quer ficar por dentro das melhores notícias de tecnologia do dia? Acesse e se inscreva no nosso novo canal no youtube, o Canaltech News. Todos os dias um resumo das principais notícias do mundo tech para você!

Mesmo assim, eles possuem certas limitações, pois são controlados remotamente por pilotos que enfrentam os mesmos problemas de visualização da área logo abaixo da copa das árvores. Com a nova tecnologia, fica mais fácil identificar o local exato onde uma ou várias pessoas estão.

Sistema detecta pessoas sob a copa das árvores (Imagem: Reprodução/JKU)

Algoritmo de corte óptico

Esse sistema usa o poder de processamento de um computador para desfocar objetos capazes de obstruir a visão, como as copas das árvores. Imagens térmicas ajudam a destacar o calor emitido pelo corpo ao mesmo tempo que um aplicativo de aprendizagem de máquina analisa se os sinais pertencem a seres humanos, animais ou outras fontes de calor.

O dispositivo funciona em um drone autônomo convencional que utiliza um sistema de posicionamento espacial para determinar qual área deve ser pesquisada. Quando os sensores encontram alguma coisa, o drone se aproxima do local para ter uma visualização mais apurada e emite um sinal para a equipe de resgate mais próxima.

Nos primeiros 17 testes feitos longe do laboratório, o drone equipado com o algoritmo de corte óptico conseguiu localizar 38 das 42 pessoas escondidas sob as copas das árvores. Além disso, o sistema foi capaz de fazer a identificação de forma precisa e em tempo real, duas qualidades fundamentais em missões de busca e resgate.

Socorro vem do céu

Essa novidade de certa forma se assemelha a um projeto desenvolvido na Alemanha, onde pesquisadores criaram um sistema que utiliza drones para identificar sons de pessoas soterradas gritando por socorro ou presas em escombros em áreas de desastres. Os veículos aéreos não tripulados são equipados com microfones especiais que captam ruídos distintos, utilizando tipos diferentes de filtros ligados a uma central de aprendizagem de máquina.

Nos testes realizados em campo aberto, o intervalo entre o sistema de 60 microfones captar o som de um grito e identificar com precisão a sua localização para a equipe de resgate foi de apenas alguns segundos. Essa agilidade também foi observada em situações com excesso de ruídos externos e com várias pessoas gritando ao mesmo tempo.

Fonte: JKU

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.