Publicidade

Considerado "combustível do futuro", hélio-3 está aumentando na Terra

Por| Editado por Douglas Ciriaco | 30 de Maio de 2022 às 11h05

Link copiado!

Tempus/Envato
Tempus/Envato

Cientistas da Universidade da Califórnia, em San Diego, nos Estados Unidos, descobriram recentemente que um recurso natural bastante raro, conhecido como hélio-3, está aumentando consideravelmente na atmosfera terrestre. Até agora, acreditava-se que esse elemento só poderia ser encontrado em abundância na Lua.

Segundos os pesquisadores, o hélio-3 pode servir como base para o desenvolvimento de uma fonte de energia limpa para a humanidade, já que, aparentemente, ele é dez vezes mais comum aqui na Terra do que os cientistas imaginavam.

“O hélio-3 é um isótopo do hélio, o que significa que ele contém o mesmo número de prótons que esse elemento comum, mas um número diferente de nêutrons. Essa característica faz com ele seja um candidato com potencial elevado para substituir os combustíveis fósseis”, explica o o professor de física da USP Ricardo Galvão, ao comentar a descoberta.

Continua após a publicidade

Por acaso

Nos testes realizados em laboratório, os pesquisadores usaram uma nova técnica para detectar de que maneira os níveis de hélio estão subindo no nosso planeta. Esse isótopo foi encontrado acidentalmente durante um estudo que pretendia medir a presença de outra versão do hélio, chamada hélio-4.

“Eles começaram analisando o hélio-4, fazendo uma comparação da concentração relativa dele com o nitrogênio, muito abundante na nossa atmosfera. A partir dessa análise, eles notaram a existência de mais hélio-4 na atmosfera do que estimativas anteriores”, acrescenta o professor Galvão.

O Canaltech está no WhatsApp!Entre no canal e acompanhe notícias e dicas de tecnologia

Com essa constatação, os cientistas perceberam que a presença do hélio-3 também vem aumentando em proporções consideráveis, assim como ocorre com o hélio-4 — substância liberada principalmente durante a queima e a extração de combustíveis fósseis —, porém em menor quantidade.

Combustível do futuro

O isótopo de hélio-4 é produzido pelo decaimento radioativo na crosta terrestre e se acumula nos mesmos reservatórios que os combustíveis fósseis, em especial os de gás natural. Para utilizar o hélio-3 como combustível, os cientistas dizem que, primeiramente, seria preciso diferenciar as formas de obtenção de energia de reações nucleares.

Uma delas seria a fusão nuclear, que é a forma como as estrelas obtêm energia. No entanto, o processo feito atualmente aqui na Terra é conhecido como fissão nuclear — o bombardeio de átomos com nêutrons para quebrar o seu núcleo e produzir energia. Esse tipo de reação utiliza dois isótopos do hidrogênio, o deutério e o trítio, gerando lixo nuclear.

Continua após a publicidade

“Em abundância, o hélio-3 poderia tomar o lugar do trítio e a reação seria bem menos perigosa para o planeta, já que esse elemento, quando reage com o deutério, não produz nêutrons energéticos e a energia sai imediatamente em partículas carregadas, não havendo radiação dos elementos dos reatores”, encerra o professor Ricardo Galvão.

Fonte: University of California San Diego