Anti-hacker | MIT cria repetidor capaz de mascarar sinal sem fio

Por Wagner Wakka | 08 de Junho de 2018 às 18h45
photo_camera Nrkbeta/Flickr

Uma pesquisa do Massachusetts Institute of Technology (MIT) apresentou uma técnica para evitar que hackers possam invadir a sua rede sem fio. Eles criaram um aparelho transmissor que consegue modificar a frequência do sinal de forma tão rápida que um hacker não conseguiria identificar.

O mecanismo funciona pela utilização de dispositivos chamados ressonadores de ondas acústicas de massa. Tais mecanismos conseguem alternar entre uma grande faixa de canais de frequências de rádio e enviar informações falsas direcionadas a cada bit. Assim, o dispositivo seleciona aleatoriamente um novo canal para enviar estes bits e mascarar o sinal de forma com que hackers não consigam interceptar.

Para isso, os pesquisadores também criaram um novo protocolo de internet, diferente do usado atualmente, compatível com esta técnica chamada de “salto de frequência”. “Com a atual arquitetura [transmissora] existente, você não seria capaz de pular bits de dados a essa velocidade com baixa potência. Ao desenvolver este protocolo e a arquitetura de radiofreqüência juntos, oferecemos segurança de camada física para conectividade", diz Rabia Tugce Yazicigil, pós-doutoranda no Departamento de Engenharia Elétrica e Ciência da Computação e autora do artigo. O trabalho está sendo apresentado nesta sexta no IEEE Radio Frequency Integrated Circuits Symposium.

Participe do nosso GRUPO CANALTECH DE DESCONTOS do Whatsapp e do Facebook e garanta sempre o menor preço em suas compras de produtos de tecnologia.

A pesquisadora informa que o propósito da pesquisa é de colaborar para tornar mecanismos essenciais mais seguros, não necessariamente para uso doméstico. "Mais seriamente, talvez, o transmissor poderia ajudar a proteger dispositivos médicos, como bombas de insulina e marca-passos, que poderiam ser atacados se um hacker quisesse prejudicar alguém", diz Yazicigil. "Quando  começam a corromper as mensagens [desses dispositivos], a vida de muitas pessoas pode ser afetada".

Ela explica que a tecnologia pode ajudar a conter uma ataque muito comum chamado de interferência seletiva. Aqui, um hacker geralmente intercepta um pacote de dados e o envia de forma corrompida para um único dispositivo. Como apenas um usuário de toda rede está com problemas, é comum que a ação passe imperceptível e seja confundida apenas com uma conexão ruim.

Com a técnica do MIT, os dados são quebrados em várias partes e enviados para vários canais de forma aleatória fazendo com um hacker precise de mais tempo para interceptar o sinal. Contudo, enquanto ele tenta fazer isso, o sistema já modificou a frequência impedindo a ação.

O desafio do time agora é conseguir aumentar a potência do aparelho que, devido à tecnologia, exige mais que os roteadores convencionais. “No entanto, os ressonadores BAW cobrem apenas cerca de 4 a 5 megahertz de canais de freqüência, ficando muito aquém da faixa de 80 megahertz disponível na banda de 2,4 gigahertz designada para comunicação sem fio”, explica a pesquisadora.

Fonte: Eurekalert

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.