Oi anuncia expansão de projeto de vigilância e segurança que começou no RJ

Por Wellington Arruda | 22 de Março de 2019 às 07h56
Divulgação
Tudo sobre

Oi

Saiba tudo sobre Oi

Ver mais

A Oi anunciou nesta semana a expansão do seu portfólio de soluções digitais que deve favorecer cidades inteligentes que demandam projetos de vigilância, dando seguimento a projetos de transformação digital nessas cidades. As plataformas têm foco em segurança, eficiência operacional e visam reduzir custos para os clientes que adotarem os serviços.

A Secretaria de Segurança Pública do Estado do Rio de Janeiro terá acesso às soluções de monitoramento urbano por vídeo, “o que permite reconhecimento facial e leitura de placas para localizar pessoas e veículos suspeitos e identificar padrões de comportamento e situações de risco”, como cita o relatório disponibilizado pela companhia.

O projeto da Oi, que conta também com suporte analítico sobre os dados, teve início no Carnaval deste ano e gerou polêmica sobre a privacidade dos dados, além de como eles seriam utilizados e por quem seriam utilizados. À época, a dica essencial dos usuários foi utilizar máscaras para que seus rostos não fossem submetidos aos “testes”. O projeto contou com 29 câmeras de monitoramento urbano instaladas no bairro de Copacabana e se mantém até então.

Participe do nosso Grupo de Cupons e Descontos no Whatsapp e garanta sempre o menor preço em suas compras de produtos de tecnologia.

Como relatado pela companhia, que fornecerá suas soluções para empresas privadas e do setor público que demandam solução de vigilância em diversas verticais, os dados são armazenados e geridos pelos contratantes. Assim, a Oi afirma não ter gestão sobre as informações coletadas, mas cuida da infraestrutura.

A empresa também informa que, além do RJ, as soluções já operam nas cidades de Búzios e Niterói e também nos estados de Pernambuco e Sergipe. São fornecidos serviços de rede e conectividade, segurança cibernética, videomonitoramento, reconhecimento facial, IoT, analytics e big data.

A diretora do Corporativo da Oi, Adriana Viali, afirma que o portfólio da empresa permite atuar “desde a conectividade, passando pela infra de TI, soluções de segurança cibernética e também atuando em algumas camadas de aplicação”, integrando “soluções digitais de TI e Telecom, aliadas à nossa capilaridade de rede que avança na fibra óptica”.

Para o município de Búzios, isso significa o videomonitoramento com reconhecimento facial e leitura de placas de veículos com 10 câmeras. Em Niterói, a Oi faz a gestão de 327 câmeras para o Centro Integrado de Segurança Pública (CISP).

O projeto de segurança e monitoramento urbano também atende o Centro Integrado de Operações em Segurança Pública (CIOSP) de Sergipe com 459 viaturas monitoradas e 84 câmeras de vigilância. No "Pernambuco Conectado", são 380 câmeras para monitoramento urbano e 3 mil câmeras de monitoramento predial, incluindo serviços de conectividade, armazenamento, gerenciamento e analytics.

As soluções da companhia para cidades inteligentes também inclui a fiscalização eletrônica para o monitoramento e gestão de equipes de campo, fiscalização eletrônica do trânsito, da saúde, meio ambiente, de zoonoses e aspectos sanitários através de um aplicativo. Há também a gestão de frotas, que visa redução de custos com controle da saúde e do consumo de combustível, além de gestão de dispositivos IoT e big data, esta última voltada para o varejo, utilities e setor público.

A Oi ainda não tem estimativas de levar o projeto para outras cidades e municípios por enquanto (além dos já divulgados e em funcionamento).

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.