Galileo, sistema de GPS europeu, volta ao normal após problemas técnicos

Por Redação | 22 de Julho de 2019 às 17h20

Depois de passar por um verdadeiro perrengue iniciado no último dia 12, o Galileo, sistema de navegação via satélite (GPS) europeu, finalmente conseguiu voltar às normalidades. Por meio de um comunicado, a Agência dos Sistemas Mundiais de Navegação por Satélite (GSA) indicou que as dificuldades técnicas foram ultrapassadas.

Os problemas que levaram o Galileo a ficar fora de serviço foram apontados como um incidente técnico relacionado à infraestrutura terrestre do sistema. O comunicado oficial não entrou em mais detalhes, na ocasião, e apenas avisou que a falha na infraestrutura afetou a nevagação normal do sistema, como navegação e cronometragem, mas não atingiu o serviço SAR (cuja finalidade é localizar pessoas em situações perigosas, como no meio do mar ou nas montanhas).

Galileo se recupera

Nesta segunda-feira (22), o GPS Daily anunciou que o impacto do serviço de navegação foi causado por um mau funcionamento de alguns equipamentos nos centros de controle do Galileo, responsáveis por gerar a hora do sistema e calcular as previsões de órbita, e que a ruptura afetou vários elementos nos centros de controle em Fucino, na Itália, e em Oberpfaffenhofen, na Alemanha. Entretanto, por enquanto uma comissão independente está responsável por investigar as circunstâncias exatas e as causas que levaram ao fracasso do sistema. A investigação está sendo conduzida pela Comissão da UE e pela GSA.

Para realizar a correção desse mau funcionamento, foi necessário todo um time de especialistas do Galileo Service Operator, sob a liderança da Spaceopal GmbH, com cooperação da GSA e de fornecedores de infraestruturas terrestres industriais, em conjunto com a Agência Espacial Europeia (ESA). “Uma equipe composta por peritos da GSA, da indústria, da Agência Espacial Europeia e pela Comissão Europeia trabalhou unida durante 24 horas, sete dias por semana, para resolver o incidente”, comunicou a GSA.

Apesar de tudo, os serviços que se iniciaram em dezembro de 2016 foram recuperados com êxito, depois de vários dias de trabalho. Como o sistema ainda se encontra em fase piloto, que precede a fase de serviços operacionais completos, é compreensível que esse tipo de coisa aconteça. O Galileo também está sendo usado em combinação com outros sistemas de navegação por satélite, com direito a testes e detecção de possíveis desafios técnicos que venham a acontecer até a implantação completa da capacidade operacional.

Fonte: GPS Daily

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.