CIOs vêm optando cada vez mais pela terceirização para modernizar mainframe

Por Redação | 22 de Julho de 2014 às 14h30

A cada dia que passa mais setores do empresariado nacional e internacional se submetem a regras para aprimorar o ambiente de negócios e estimular a transparência na gestão. Contudo, para que esse objetivo seja alcançado, surge a necessidade de adequação e atualização dos sistemas de tecnologia usados por eles. Essa necessidade é mais flagrante ainda em bancos que, na maioria dos casos, rodam suas aplicações em mainframes cuja atualização é complexa e custosa.

Para agilizar a adequação às novas regras e até reduzir os custos de toda a operação, um estudo do instituto Vanson Bourne e da Micro Focus revelou que as empresas estão cada vez mais optando pela terceirização do desenvolvimento e testes das aplicações. Ao todo, a pesquisa entrevistou 590 CIOs de nove países, inclusive o Brasil, e constatou que 39% deles optaram por terceirizar quando houve necessidade de mudar o cenário regulatório da empresa. No Brasil, esse número é de 34%.

De todos os CIOs que decidiram terceirizar o desenvolvimento e os testes de suas aplicações mainframe por questões de compilance, 60% passaram a responsabilidade legal pela proteção e privacidade dos dados ao parceiro em contratos. Entre os que ainda não o fizeram, 16% destacaram o desejo de tomar tal atitude num futuro breve. Os motivos, segundo o country manager da Micro Focus no Brasil Marco Leone, são óbvios e giram em torno do ganho de tempo e recursos. "Ao contar com um parceiro para desenvolvimento e teste, as empresas ganham tempo, fôlego e recursos para investir em inovação e em core business", disse Leone.

A pesquisa também revelou que mais da metade (55%) dos líderes de TI acreditam que o conhecimento original sobre seus aplicativos mainframe e de estrutura de suporte de dados não está mais dentro da organização. No Brasil, esse índice é de 48%. Além disso, 73% dos entrevistados admitiram que a documentação da organização está incompleta e que a falta desses registros dificulta a identificação e execução das mudanças exigidas pelas novas regulamentações. No Brasil, 75% dos entrevistados admitiram passar pela mesma situação.

Já outra porção dos entrevistados (44%) admitiu que não tem capacidade para conduzir o trabalho de adequação às regras apenas com equipe e estrutura internas da organização. A flexibilização do ambiente mainframe também foi apontada pela maioria esmagadora (98%) dos CIOs como outro motivo para adotar a terceirização, enquanto 91% deles acreditam que essa necessidade deve aumentar ainda mais no futuro.

Leia também: Do mainframe viemos, ao mainframe voltaremos

Siga o Canaltech no Twitter!

Não perca nenhuma novidade do mundo da tecnologia.