Publicidade

Memórias CAMM mais rápidas e menores também chegarão a desktops

Por| Editado por Jones Oliveira | 15 de Janeiro de 2024 às 11h11

Link copiado!

Micron / Reprodução
Micron / Reprodução

Recentemente, a Micron anunciou suas novas memórias LPCAMM2, de baixo consumo, voltado para sistemas embarcados e notebooks ultrafinos. Segundo a JEDEC, que padroniza componentes microeletrônicos, as memórias CAMM — mais rápidas e até 64% menores — também vão substituir o padrão DDR de desktops.

Tem Schnell, presidente do Grupo CAMM da JEDEC, afirmou que o padrão CAMM2 irá oferecer opções diversificados para modularidade. Isto irá permitir que fabricantes implementem formatos diferentes de produtos para segmentos específicos, conforme a demanda em escalabilidade.

“[A] JEDEC CAMM2 está posicionada para dar suporte e avançar a nova geração de produtos, oferecendo aos designers uma gama extensa de opções de modularidade.” - Tom Schnell, presidente do Grupo CAMM da JEDEC.
Continua após a publicidade

Novo slot DDR5 com pinagem vertical

A organização não entrou em detalhes sobre quando irá ocorrer essa transição, ou como as fabricantes vão implementar o novo formato em suas placas-mãe. Os modelos apresentados pela Micron, no entanto, trazem um formato similar ao de processadores, com chips de um lado da PCB, e pinagem no lado oposto.

Continua após a publicidade

Os módulos atuais utilizam pinagem horizontal, posicionada apenas na borda da PCB, permitindo montagens empilhadas, como a dos notebooks, ou em slots paralelos nos desktops. Apesar de o padrão CAMM parecer menos prático nesse sentido, por obrigar que os módulos utilizem uma área maior da PCB, a maior quantidade de pinos permite entregar memórias muito mais rápidas.

Além disso, o conector maior permite criar slots com pinagem vertical de alturas diferentes, possibilitando que um único módulo trabalhe com os chips de memória em dual-channel. Considerando que os chips NAND estão com capacidades cada vez maiores, o novo padrão tem potencial para entregar uma escalabilidade muito maior no longo prazo.

Continua após a publicidade

Fonte: JEDEC