Como saber se a tomada é 127V ou 220V?

Como saber se a tomada é 127V ou 220V?

Por Vinícius Moschen | Editado por Wallace Moté | 21 de Janeiro de 2022 às 17h30
Instil

Mesmo que vários produtos tenham compatibilidade com diferentes padrões de tensão (ou voltagem, como é popularmente chamada), alguns dispositivos podem exigir tomadas que sejam de 127 ou 220 voltz (V). É muito importante conhecer as características dos plugues antes de conectar o cabo de energia, pois a utilização de um item na voltagem errada pode causar o seu funcionamento incorreto, ou até mesmo provocar a queima dos componentes internos, tornando o produto inutilizável. Por isso, o Canaltech dá algumas dicas para entender quais são as características de uma fonte de energia.

Perguntar para um residente local

Tomadas de 220 V podem apresentar coloração vermelha (Imagem: Instil)

Em geral, a melhor forma de descobrir a voltagem correta das tomadas é, simplesmente, perguntar para alguém que possa ter a informação, como um residente local ou funcionário do hotel em que você está hospedado. Apesar de parecer uma resposta simplista, essa solução é mais eficiente do que confiar totalmente em listas ou outros conteúdos similares, pois o padrão de cada cidade não é necessariamente utilizado em todas as tomadas de um determinado local.

Caso não seja possível encontrar ninguém com essa informação, alguns referenciais visuais podem estar presentes, especialmente em hotéis ou outros locais de grande circulação de pessoas. Itens como placas indicativas com a tensão, ou coloração diferente da tomada (como o uso da cor vermelha para tomadas 220V) podem ser úteis para identificar as características de uma tomada.

Conferir a lista de voltagem por estado

Os estados brasileiros possuem diferentes padrões de voltagem, pois as suas redes elétricas foram construídas em épocas distintas, e um processo de unificação nunca foi realizado ao longo dos últimos séculos. No geral, cada estado pode ter adotado tomadas de 127 V ou 220 V, por isso é bom checar a lista abaixo para evitar dores de cabeça — atualmente, o padrão de 110 V caiu em desuso, mesmo que a voltagem ainda seja referenciada em vários locais.

  • Acre: 127 V
  • Alagoas: 220 V
  • Amapá: 127 V
  • Amazonas: 127 V
  • Bahia: 127 V (exceto regiões específicas que utilizam o 220 V, como Porto Seguro)
  • Ceará: 220 V
  • Distrito Federal: 220 V
  • Espírito Santo: 127 V
  • Goiás: 220 V
  • Maranhão: 220 V
  • Mato Grosso: 127 V
  • Mato Grosso do Sul: 127 V
  • Minas Gerais: 127 V (exceto regiões específicas que utilizam o 220 V, como Uberlândia)
  • Pará: 127 V
  • Paraná: 127 V (exceto regiões específicas que utilizam o 220 V, como Guarapuava)
  • Paraíba: 220 V
  • Pernambuco: 220 V
  • Piauí: 220 V
  • Rio de Janeiro: 127 V (exceto regiões específicas que utilizam o 220 V, como Nova Friburgo)
  • Rio Grande do Norte: 220 V
  • Rio Grande do Sul: 127 V (exceto regiões específicas que utilizam o 220 V, como Gramado)
  • Rondônia: 127 V
  • Roraima: 127 V
  • Santa Catarina: 220 V
  • São Paulo: 127 V (exceto regiões específicas que utilizam o 220 V, como Santos)
  • Sergipe: 127 V
  • Tocantins: 220 V

Utilizar acessórios para descobrir a voltagem

Uma das funções do multímetro é a medição de tensão (Imagem: Reprodução/Magalu)

Uma solução bastante útil para descobrir de forma rápida a voltagem de uma tomada é a utilização de acessórios especializados para esse fim, como um multímetro. Produtos do tipo apresentam uma ampla variedade de formatos e preços — portanto, não é difícil encontrar o produto ideal para quem somente quer fazer alguma aferição simples, ou mesmo para quem costuma fazer usos mais profissionais e detalhados da ferramenta.

Medidores de tensão podem ser encontrados em lojas de utensílios gerais, ou mesmo em locais especializados em materiais de construção, por exemplo. As formas de utilização dependem da complexidade do dispositivo, mas vários modelos podem ser aproveitados até mesmo por quem não tem tanto conhecimento técnico — a voltagem medida aparecerá em um display correspondente, ou mesmo com indicações luminosas.

Acessórios mais simples também podem identificar a voltagem (Imagem: Reprodução/Mercado Livre)

Os multímetros funcionam com a inserção dos terminais de teste nas tomadas, e por isso o processo deve ser feito com muito cuidado para evitar choques elétricos que podem causar danos à integridade física ou mesmo à rede elétrica. É sempre recomendado ler o manual de cada produto antes de realizar as medições.

Colocar produtos na tomada errada causa danos?

Com certeza! Caso um produto 110 ou 127 V seja colocado em uma tomada 220 V, é quase certo que ele irá queimar assim que ligado, pois receberá uma tensão elétrica muito acima do que está projetado para operar. Por isso, é de extrema importância ter certeza da voltagem da tomada antes de conectar um dispositivo que não seja bivolt, especialmente se há a desconfiança de que seja 220 V.

Porém, quando o contrário acontece, os danos podem não ser tão graves, pelo menos a curto prazo. A princípio, o produto 220 V ligado na tomada 127 V irá apenas operar com suas capacidades reduzidas — um secador de cabelo pode gerar menos calor ou soprar menos ar, por exemplo.

Mesmo assim, o dispositivo ainda estará sendo submetido a uma voltagem pela qual não foi projetado, e por isso pode sofrer avarias depois de algum tempo — a extensão desses estragos depende muito de qual é o produto e quais as proteções incluídas pela fabricante em seus sistema elétrico. Itens que possuem motores internos (como uma batedeira, por exemplo) podem sofrer mais com a tensão reduzida, já que esses componentes terão que puxar muita corrente para alcançar a potência de trabalho e assim realizar suas respectivas tarefas.

Se o produto já comprado for incompatível com a voltagem disponível, é possível adquirir um transformador de tensão. Esses dispositivos costumam ter preços que partem de R$ 50, e são capazes de converter voltagens de 127 V em 220 V, e também fazer o caminho contrário de 220 V para 127 V.

Como saber se o produto é bivolt?

Fontes geralemnte trazem indicação de forma clara (Imagem: IndiaMART)

Atualmente, vários produtos comuns trazem a capacidade de funcionar corretamente tanto em 127 V quanto no 220 V. Em geral, eles possuem fontes de energia com indicações visuais inscritas diretamente no acessório, ou mesmo em um adesivo colado na sua estrutura.

Quando um produto é bivolt, a configuração da tensão pode acontecer de duas formas diferentes. Alguns dispositivos exigem o ajuste manual por meio de um pequeno interruptor que deverá estar em um lugar acessível e com grande visibilidade, enquanto outras fontes poderão fazer essa troca de forma automática, por meio de componentes internos que identificam a voltagem e permitem a operação sempre correta.

Caso o dispositivo não tenha uma indicação clara sobre qual é a voltagem correta, é recomendada uma pesquisa no manual para descobrir mais informações sobre o produto em si, e também sobre qual configuração normalmente é utilizada pela marca.

Se mesmo assim a configuração ideal não for identificada, o próximo passo é abrir o produto para conferir se há alguma identificação na parte interna da estrutura — entretanto, essa etapa deve ser realizada apenas com algum conhecimento técnico, e o item deve estar desconectado da fonte de energia durante todo o processo, para evitar possíveis choques.

Fonte: Hunker, Upgraded Home

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.