Polícia espanhola prende suspeito de liderar quadrilha hacker que roubou € 1 bi

Polícia espanhola prende suspeito de liderar quadrilha hacker que roubou € 1 bi

Por Ares Saturno | 26 de Março de 2018 às 14h41

A força policial espanhola prendeu um suspeito de liderar uma quadrilha de cibercriminosos que roubou mais de € 1 bilhão, o que equivale a cerca de R$ 4 bilhões. Após cooperação entre policiais dos EUA, Ásia de Europa, o suspeito, identificado como Denis K., foi detido em Alicante, uma cidade portuária localizada na costa sudeste da Espanha.

Segundo pronunciamento da Europol, o grupo aplicava golpes desde 2013, com membros em mais de 40 países e tendo lesado o patrimônio de mais de 100 instituições financeiras.

O método utilizado pelos cibercriminosos eram malwares enviados por e-mail para funcionários dos bancos e, com as máquinas infectadas, o grupo conseguia controle da rede e dos servidores do banco. "Com esse nível de acesso, os elementos autorizaram transferências bancárias fraudulentas, aumentaram os saldos das contas de mula ou controlaram os caixas eletrônicos afetados para liberar o dinheiro para eles”, comunicou a Europol.

Quer ficar por dentro das melhores notícias de tecnologia do dia? Acesse e se inscreva no nosso novo canal no youtube, o Canaltech News. Todos os dias um resumo das principais notícias do mundo tech para você!

Estavam com Denis K., no momento da apreensão, outros três homens, que supostamente fazem parte do grupo criminoso e teriam nacionalidades russas e ucranianas. A polícia da Ucrânia não comentou o caso. Com o grupo foram também apreendidos dois carros de luxo e mais de € 500 mil (ou cerca de R$ 2 bilhões) em jóias. As contas bancárias dos acusados e duas casas avaliadas em cerca de € 1 milhão (pouco mais de R$ 4 milhões) estão bloqueadas pela Justiça espanhola.

Segundo detalhes fornecidos pelos investigadores, Denis K. utilizou plataformas financeiras em Gibraltar e no Reino Unido para carregar cartões de crédito pré-pagos com bitcoins para usufruir das quantias na Espanha, além de usar a criptomoeda para lavagem de dinheiro.

Fonte: Reuters

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.