Hackers afirmam ter documentos que contam "A Verdade" sobre os ataques de 11/9

Por Rafael Rodrigues da Silva | 02 de Janeiro de 2019 às 19h28
Reprodução

Na última segunda-feira (31), véspera de Ano Novo, o grupo hacker The Dark Overlord anunciou que conseguiu invadir os servidores de uma firma de direito que cuidou de diversos casos referentes aos atentados terroristas de 11 de setembro de 2001, quando dois aviões colidiram contra as torres do World Trade Center em Nova York.

Usando as diversas teorias conspiratórias existentes sobre o caso para atrair a atenção da mídia, o grupo está chantageando as empresas que tiveram seus dados roubados, dizendo que irá revelar para o mundo o “segredo por trás do ataque” caso não recebam uma quantia ainda não especificada em Bitcoins.

Junto com a revelação da invasão e a mensagem da chantagem, o grupo disponibilizou o link de acesso para um cache com mais de 10 GB de arquivos retirados dos servidores. O cache por enquanto está todo criptografado, mas o grupo criminoso já avisou que irá disponibilizar as chaves para desencriptação caso suas exigências não sejam aceitas.

Na mensagem, o grupo afirma possuir documentos de algumas das maiores companhias de seguro do mundo, como a Hiscox Syndicates Ltd., a Lloyds of London e a Silverstein Properties, além de casos envolvendo políticos e agências como Transport Security Administration (TSA, responsável pelas regras de segurança nos aeroportos) e da Federal Aviation Administration (FAA, responsável pelo gerenciamento dos vôos do país).

Não se sabe exatamente a quais arquivos o grupo teve acesso, mas tudo indica que ele está utilizando as teorias conspiratórias sobre o evento — explicitando que possui “muitas respostas” para o atentado — tentando capitalizar o achado e convencer o público que esses dados possuem uma importância maior do que a real.

Essa versão é confirmada por um representante da Hiscox Group, que em uma resposta por e-mail para a Motherboard afirmou que os servidores da empresa não sofreram nenhuma tentativa de invasão, e que os dados referentes a ela foram retirados dos servidores de uma firma de advocacia que cuidou dos processos de litígio referentes a vítimas dos ataques de 11 de setembro.

Para mostrar que fala sério, o grupo The Dark Overlord liberou o acesso a alguns dos documentos roubados, mas todos eles eram inócuos e relativos a ações de investigação e restituição comuns a qualquer caso de ataque terrorista. Apesar disso, o grupo promete que os próximos arquivos liberados irão “contar a verdade” sobre o ataque, e pede que as empresas paguem se não quiserem ser responsáveis pelo que irá acontecer caso esses documentos venham à tona.

Fonte: Motherboard

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.