Golpe do WhatsApp clonado atinge cerca de 5 mil pessoas no Brasil

Por Rafael Rodrigues da Silva | 10 de Dezembro de 2018 às 22h10
Tudo sobre

WhatsApp

Saiba tudo sobre WhatsApp

Ver mais

Cuidado ao receber uma mensagem pelo WhatsApp de algum parente ou amigo pedindo dinheiro emprestado, pois tudo pode não passar de um golpe. Um novo crime envolvendo o aplicativo está sendo investigado pela Célula de Inteligência Cibernética do Departamento da Polícia Civil do Ceará, no qual usuários estão tendo o WhatsApp clonado, com criminosos se passando por essas pessoas para pedir empréstimos de dinheiro aos contatos das vítimas.

Segundo a polícia, a operação de clonagem consiste no uso de de um chip novo pelos criminosos, e nesse chip eles solicitam o resgate do número da vítima escolhida, o que permite que os criminosos tenham acesso a toda a lista de contatos do WhatsApp da vítima, já que esses dados estão ligados ao número do chip, e não ao aparelho físico do usuário. Cinquenta casos do golpe já foram registrados no estado do Ceará, e a polícia acredita que cerca de cinco mil contas de WhatsApp já foram clonadas em todo o Brasil.

Segundo os casos analisados pelos policiais, o teor das conversas iniciadas pelos criminosos muda de acordo com a pessoa que está sendo abordada, e as desculpas para empréstimos variam, com os pedidos sendo feitos para se comprar aparelhos eletrônicos, comprar um carro ou garantir entrada em um imóvel.

Para o delegado Julius Bernardo, diretor da Célula de Inteligência Cibernética, a orientação é de sempre desconfiar de pedidos de empréstimos de dinheiro feitos pelo WhatsApp, independente do quão próxima é a pessoa, e deve-se se confirmar por outros meios (um telefonema ou, se possível, pessoalmente) se o pedido realmente foi feito pela pessoa em questão.

Ele avisa que a melhor forma de não ser vítima deste golpe é habilitar a verificação em dua etapas do WhatsApp, já que esse recurso exige que qualquer tentativa de registrar o número em um novo aparelho utilize também um número PIN configurado pelo usuário, o que acaba impedindo a execução do golpe, já que sem o conhecimento do número não é possível acessar o aplicativo.

Fonte: UOL

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.