Funcionários da Huawei na África interceptaram mensagens de políticos locais

Por Natalie Rosa | 14 de Agosto de 2019 às 16h17
Reprodução
Tudo sobre

Huawei

Saiba tudo sobre Huawei

Ver mais

Já faz algum tempo em que a Huawei vem enfrentando críticas por, supostamente, ser uma ameaça à segurança de alguns países, se envolvendo ainda em uma crise recente com o governo dos Estados Unidos. Agora, a situação deve piorar ainda mais para a fabricante chinesa.

Segundo um relatório conduzido pelo The Wall Street Journal, um grupo de funcionários da Huawei foi flagrado interceptando mensagens criptografadas em nome de dois governos africanos, com o objetivo de espionar oponentes políticos.

De acordo com os funcionários da Huwei em Uganda, a polícia do local pediu para que eles descriptografassem as mensagens. Um dos governantes que tiveram suas mensagens interceptadas foi Bobi Wine, "popstar" de Uganda que agora está envolvido com política e ativismo.

Bobi Wine, político da Uganda (Imagem: Reprodução)

A atividade foi descoberta em dois casos na Uganda e na Zâmbia, e os funcionários da companhia utilizaram um software chamado Pegasus para acessar mensagens criptografadas. Em resposta à imprensa, eles disseram que "a empresa nunca esteve envolvida em atividades de hack".

Ainda de acordo com o relatório, no entanto, os executivos da Huawei da China não sabiam do que estava acontecendo e também não há evidências de que a companhia estivesse envolvida em atividades de espionagem para o governo chinês.

Mesmo assim, o caso manchou um pouco mais a reputação da companhia ao redor do mundo, principalmente no Reino Unido e nos Estados Unidos.

Fonte: Android Central

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.