Tecnologia de Negócios para impulsionar a transformação digital

Por Colaborador externo | 08 de Junho de 2017 às 18h37
photo_camera Divulgação

Por Marco Stefanini

Ouvir mais o cliente, ampliar o relacionamento com as diversas áreas e oferecer novas tecnologias que poderão auxiliar no processo de transformação digital das empresas. Em todos os encontros que promovemos com nossas lideranças, temos reforçado essas questões como prioritárias para agregar valor aos projetos e gerar novas oportunidades de negócios.

Na semana passada, tive a grata surpresa ao ler a opinião do vice-presidente de pesquisas do Gartner, Cassio Dreyfuss, para quem a área de Tecnologia da Informação (TI) é a mais preparada para conduzir as mudanças na era digital. Em sua apresentação no VtexDay, evento com foco em e-commerce e varejo, o executivo disse que a área de TI pode ganhar uma nova nomenclatura: Tecnologia de Negócios (TN).

Acredito que esta alteração seja irreversível até porque o profissional de TI está cada vez mais envolvido com a área de negócios. Muitas vezes, quem define pela implementação de novas tecnologias é o próprio CEO, embasado pela sua equipe de TI e com apoio das empresas prestadoras de serviços em tecnologia.

No Brasil, a transformação digital começou a entrar na lista de prioridades das corporações. Mesmo quem ainda não tem um projeto estruturado já pensa em investir em tecnologias disruptivas para ampliar os índices de eficiência e se tornar mais competitivo em um mercado cada vez mais dinâmico.

Embora o CIO tenha grandes chances de se tornar o líder digital, dados levantados pelo próprio Gartner sinalizam que os profissionais que ocupam esta função precisam superar alguns desafios. De acordo com a consultoria, 80% dos CEOs têm iniciativas de modelos de negócios digitais, mas somente 70% deles têm um líder digital e, desses, apenas 20% deles são CIOs.

O que se percebe é que os CEOs estão liderando essa visão dos negócios digitais, enquanto o CIO ainda está focado no modelo de TI mais tradicional. Para que o CIO assuma de fato esta posição de líder digital, ele precisa chamar a responsabilidade para si, mostrando como a área de TI pode ser um acelerador de mudanças para beneficiar a empresa e seus clientes.

Para acompanhar a transformação digital é necessário engajar os profissionais e prepará-los para que desempenhem novas funções no curto e médio prazo. A era digital chegou e cobra de todos nós um novo posicionamento: mais inovação, agilidade e menos resistência a mudanças. Alguns profissionais defendem o mesmo modelo porque já sabem as respostas que darão para os mesmos problemas.

Na era digital, é preciso transcender esta visão, mostrando na prática como o novo é imprescindível para avançar em novos processos e trazer resultados efetivos. Certamente CEO e CIO terão um trabalho de parceria para promover rupturas importantes nesta transição para a Indústria 4.0. Ajustes são necessários, mas temos confiança de que a Tecnologia da Informação ou Tecnologia de Negócios será uma ferramenta valiosa para a transformação digital.

(*) Marco Stefanini é fundador e CEO global da Stefanini

Instagram do Canaltech

Acompanhe nossos bastidores e fique por dentro das novidades que estão por vir no CT.