Gestão efetiva faz a diferença

Por Jorge Sukarie Neto | 23 de Março de 2015 às 12h56

O software precisa ser visto dentro das empresas como qualquer outro recurso de valor, sendo necessário que se faça uma gestão efetiva de seus ativos para prevenir desperdícios em investimentos ou até depreciamento futuro.

Infelizmente, é possível perceber que algumas organizações só se atentam para essa necessidade quando surge uma crise, o que pode acarretar em problemas sérios aos seus negócios. Para tanto, programas como Gerenciamento de Ativos de Software (ou em inglês, Software Asset Management – SAM) já apoiam os gestores de TI quando a necessidade é redução de custos e aumento de eficiência do seu ambiente tecnológico.

Para esclarecer, o que constitui um ativo de software é o seu direito de utilização ou sua licença, que deve ser documentado por meio de contrato, documentação de licenciamento e nota fiscal.

Além dos gastos desnecessários, ao deixar de promover um gerenciamento de ativos de software, a organização fica vulnerável aos riscos da pirataria. É importante que haja a conscientização por parte dos empresários de que a ilegalidade ou não conformidade dos softwares pode gerar problemas graves às empresas, tanto para a área de TI quanto na esfera jurídica. O uso de softwares piratas pode acarretar em altas multas, indenizações por desrespeito à propriedade intelectual e a pena de até quatro anos de prisão do responsável. Quanto aos prejuízos na área de TI, o uso de softwares irregulares pode causar danos aos sistemas da organização e expor informações sigilosas aos hackers.

Outro ponto em relação à pirataria é a questão da concorrência desleal que a empresa pratica ao não adotar produtos legais. Uma organização que não paga pelos direitos de seus sistemas acaba tendo uma falsa vantagem financeira sobre seus concorrentes. O prejuízo estimado causado por isso chega a 20 mil posições de trabalho e mais de US$ 2 bilhões ao ano. Se isso for descoberto em uma auditoria, a empresa pode perder contratos internacionais além das multas e indenizações de até 3 mil vezes o valor da licença.

Para esclarecer todas as dúvidas a respeito desse assunto, a Associação Brasileira das Empresas de Software (ABES) oferece gratuitamente em seu site o Manual de Gestão de Ativos de Software. Esse documento explica detalhadamente os quatro passos para iniciar um processo de gestão de ativos de software, divididos em: Inventário; Comprovação de Propriedade da Licença; Verificação Contínua da Conformidade; Gestão de Inventário de Ativos de Software. A versão atual aborda todos estes aspectos também nas empresas multinacionais, com suas peculiaridades de atuação em vários países, e nas empresas de hosting, esclarecendo as responsabilidades destas fornecedoras e de seus clientes. A entidade oferece também um aplicativo móvel interativo e gratuito do manual no iTunes.

O intuito desse manual é explicar aos empresários, gerentes de TI, pequenos e médios empreendedores o quão importante é a implementação de um gerenciamento efetivo de software nas organizações. Ao seguir as melhores práticas do mercado, os empresários conseguem manter o melhor desempenho de seus negócios, fortalecendo o setor como um todo e também a economia do país.

Fique por dentro do mundo da tecnologia!

Inscreva-se em nossa newsletter e receba diariamente as notícias por e-mail.