Zynga aposta em novo jogo de estratégia para se restabelecer no mercado mobile

Por Redação | 07.05.2015 às 09:12

A Zynga já teve seus dias de glória no Facebook, mas anda bem sumida de uns tempos pra cá. Para tentar se reerguer, a empresa decidiu migrar para a plataforma móvel com uma proposta bem diferente daquela que apresentou com FarmVille. Assim, em vez de continuar na pegada social que tínhamos até então, a empresa optou por reviver um gênero que andava meio em baixa.

Com Empires & Allies, a produtora aposta na praticidade dos smartphones e tablets para resgatar os jogos de estratégia em tempo real ao estilo StarCraft e Age of Empires ao mesmo tempo em que tenta se reencontrar dentro do mercado.

E a escolha pelo RTS não foi por acaso. Um dos nomes fortes da Zynga, Mark Skaggs, possui uma relação bem próxima com o gênero após um período de seis anos na Electronic Arts trabalhando em títulos como Command & Conquer. Assim, ficou fácil usar toda essa experiência para criar algo novo.

A premissa de Empires & Allies é realmente bem parecida com a da desaparecida franquia da EA, colocando os jogadores para construir e gerenciar exércitos nos tempos modernos em uma luta para salvar o mundo em meio a uma guerra contra facções terroristas. Para isso, ele contará com uma grande variedade de unidades militares e diferentes tipos de armas, que poderão ser construídos à medida que o jogador coleta mais e mais recursos. E, é claro, um inimigo a ser batido.

A Zynga se preocupou em criar um ambiente que incentive as pessoas a voltarem às suas bases, principalmente ao apelar para o modo multiplayer. Afinal, o que pode ser mais tentador do que invadir o centro de comando de outra pessoa e mostrar quem é que manda naquela área? É quase como um tabuleiro de War global.

Por outro lado, o game conta com várias outras missões que não dependem da interação com outros jogadores, o que faz com que ele possa ser revisitado em diferentes momentos sem qualquer problema. Ao todo, são 250 níveis focados apenas no modo single player.

Como todo jogo gratuito, entretanto, Enemies & Allies mantém o sistema de microtransações para que as pessoas usem dinheiro real em troca de benefícios. No caso, quem estiver disposto a abrir a carteira vai receber algumas vantagens bem interessantes, como a redução no tempo de construção de unidades — o que pode desequilibrar a partida em alguns casos.

De acordo com o criador do game, a ideia é resgatar o gênero. Em entrevista, Skaggs deixa bem claro que o objetivo principal da Zynga com o título é agradar os velhos fãs de estratégia que há tempos não tinham um bom lançamento — e que os novos jogadores são consequência desse bom trabalho.

Via: The Verge