Uncharted 4 deve ser o próximo exclusivo PlayStation a chegar ao PC

Por Felipe Demartini | Editado por Jones Oliveira | 27 de Maio de 2021 às 12h35
Divulgação

Uncharted 4: A Thief’s End deve ser o próximo game exclusivo para PlayStation a chegar ao PC. A notícia apareceu em um relatório fiscal da Sony, apresentado a investidores como parte de um evento de negócios da empresa, com o logo do título da Naughty Dog aparecendo ao lado de Days Gone na lista de próximos lançamentos para os computadores, fomentados pelo sucesso de Horizon Zero Dawn nesta plataforma.

De acordo com a apresentação, o game da Guerilla, que representou o início da ideia de levar os títulos exclusivos para mais jogadores nos PCs, foi um sucesso considerável, com retorno de mais de 250% sobre o investimento feito para o port. Para a Sony, o lançamento trouxe novos fãs para a marca e, enquanto utiliza Horizon para focar em países como China, Rússia e Índia, a sequência de relançamentos no PC deve continuar.

Quer ficar por dentro das melhores notícias de tecnologia do dia? Acesse e se inscreva no nosso novo canal no youtube, o Canaltech News. Todos os dias um resumo das principais notícias do mundo tech para você!

Days Gone também aparece na listagem, cujo lançamento aconteceu na última semana. Não há, entretanto, uma data prevista para a chegada de Uncharted 4 aos PCs, com o relatório demonstrando apenas que os lançamentos nos consoles da linha PlayStation e também fora deles deve se tornar uma tendência, firmada também pelo sucesso de MLB The Show 21, game multiplataforma dos estúdios proprietários da empresa que não apenas está disponível na concorrência como foi liberado, em seu lançamento, no Xbox Game Pass.

Apresentação da Sony comemorou os bons resultados de Horizon Zero Dawn nos PCs e confirmou Uncharted 4 como o próximo lançamento na plataforma, além de uma iniciativa que deve levar os títulos também ao mercado mobile (Imagem: Divulgação/Sony)

O documento também trouxe um segundo aspecto interessante dessa expansão de marcas e franquias, indicando que a Sony também deseja levar seus jogos para o mercado mobile. Apenas uma menção ao segmento foi feita no relatório, sem anúncios ou previsões, com a citação não deixando claro se a empresa está falando de um sistema de jogatina na nuvem, como o xCloud da Microsoft, que permitiria acesso aos títulos originais, ou de novas versões ou experiências focadas nos aparelhos móveis.

A iniciativa também se une à chegada de outros exclusivos anteriores das plataformas PlayStation ao PC, ainda que pelas mãos de estúdios parceiros. Death Stranding, de Hideo Kojima, e os títulos narrativos da Quantic Dream — Detroit: Become Human, Beyond: Two Souls e Heavy Rain — também estão disponíveis na plataforma, enquanto há a expectativa, também, de lançamentos de Demon’s Souls e do remake de Final Fantasy VII, que já tiveram versões para computadores citadas em materiais oficiais rapidamente retirados do ar.

Seja como for, para a Sony e para o diretor do segmento PlayStation, Jim Ryan, essa é uma boa maneira de levar os títulos consagrados a um novo público e, ao mesmo tempo, aumentar o retorno sobre os custos de desenvolvimento. A medida não agrada aos fãs mais bitolados da plataforma, mas os números demonstram que, do ponto de vista dos negócios, essa é uma alternativa bastante interessante.

Números de mudança

Sony espera ter mais de 70 milhões de PS4 ainda em utilização pelos usuários ao final de 2021 e reafirmou compromisso com a plataforma ao longo do futuro próximo (Imagem: Divulgação/Sony)

No restante, o relatório também trouxe outras conclusões interessantes sobre os hábitos dos jogadores, com 25% dos gastos realizados na PlayStation Store sendo oriundos de jogos gratuitos. Hoje, o PlayStation 4 ainda representa 70% da base de ganhos da Sony, mas a expectativa é que essa balança vá se alterando na medida em que a disponibilidade do PlayStation 5 for entrando nos eixos, já que há uma percepção de que os early adopters tendem a investir mais dinheiro em jogos por conta dela.

Há, por exemplo, um gasto 8% maior entre os compradores da versão sem drive de disco do PlayStation 5, mas um ângulo interessante a ser citado aqui. Nesse segmento, há queda de 17% na compra de jogos completos em relação aos donos do PlayStation 4, mas ao mesmo tempo, um aumento de 62% na compra de conteúdos adicionais e materiais in-game, algo que, para a fabricante, mostra que o modelo, um pouco mais barato, pode ser o preferido dos jogadores de títulos free-to-play.

No relatório, ainda, a Sony reafirmou a continuidade do suporte ao PS4 ao longo de todo o ano de 2021, indicando uma expectativa de 70 milhões de consoles ainda em franca utilização daqui até dezembro. No período, serão 20 milhões de PS5, em um equilíbrio que ainda deve demorar para acontecer e, com isso, se transforma em boas notícias para os jogadores que ainda estão na velha geração.

Fonte: Sony

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.