Twitch vai baixar preços de inscrições em países que não usam dólar

Twitch vai baixar preços de inscrições em países que não usam dólar

Por Felipe Demartini | Editado por Jones Oliveira | 17 de Maio de 2021 às 15h12
Twitch

A Twitch anunciou nesta segunda-feira (17) uma mudança significativa nos valores de inscrições para países que não tem o dólar como moeda, com os preços pagos pelos assinantes se tornando localizados e mais baratos. A ideia é que a alteração sirva como incentivo para que os usuários adotem cada vez mais as assinaturas diretas, além da gratuita concedida a assinantes do Amazon Prime.

De acordo com a empresa, o Brasil foi o foco dos testes bem-sucedidos da mudança, que também levaram ao resultado que a Twitch gostaria de ver, com os criadores não enxergando quedas no rendimento por conta da mudança na cotação. Ainda assim, nosso país não está entre os primeiros a receberem a mudança, ficando para o terceiro trimestre de 2021; enquanto isso, Turquia e México estreiam a localização de preços já nesta quinta-feira, 20 de março.

Para os usuários dos dois países, as assinaturas do grupo 1 passarão a custar o equivalente a US$ 1,20 e US$ 2,41 em moeda local, respectivamente, enquanto, hoje, o valor base é convertido a partir dos US$ 4,99 praticados pelo serviço de forma global. A alteração vai valer tanto no apoio direto quanto para presentear um contato, com mudanças equivalentes também nos pacotes superiores, que podem ser configurados pelos criadores de conteúdo com mais incentivos ou benefícios.

Quer ficar por dentro das melhores notícias de tecnologia do dia? Acesse e se inscreva no nosso novo canal no youtube, o Canaltech News. Todos os dias um resumo das principais notícias do mundo tech para você!

A ideia da Twitch é aplicar a alteração em todos os países que não utilizam o dólar, com a empresa garantindo que os valores sempre serão menores ou iguais aos praticados hoje, nunca maiores, de acordo com a flutuação de cada moeda. As mudanças, por outro lado, não se aplicarão a mecanismos externos de monetização, como sistemas de doação direta, pedidos de interação e demais plataformas, com os criadores de conteúdo permanecendo livres para fornecerem tais opções a seus espectadores.

Para o Brasil, os novos valores ainda não foram divulgados, mas. a partir do que será cobrado no México, é possível fazer, pelo menos, uma previsão. No país, as assinaturas que custavam 108 pesos passam a valer 48 pesos; na comparação, um sub do grupo 1, que hoje custa R$ 22,99, deve passar a valer R$ 10,20, em uma baixa de mais de 50% no valor cobrado dos usuários. O preço também está de acordo com uma mensalidade Prime, que no Brasil é de R$ 9,99 e dá direito a um sub gratuito por mês na plataforma de streaming.

Todo mundo via ganhar menos?

Localização de preços deve cortar pela metade os valores de assinaturas pagas na Twitch; empresa anunciou pacote de incentivos para compensar eventuais quedas nos ganhos ao longo do primeiro ano após as mudanças (Imagem: Dr StClaire/Pixabay) 

A Twitch promete que não, apesar de a conta, na prática, não fechar de forma exata. De acordo com a Twitch, os testes realizados no Brasil mostraram que o número de seguidores e inscritos nos canais escolhidos para testarem a localização de preços mais do que dobrou durante o período de testes. Ainda assim, paira o temor quanto a uma possível redução dos rendimentos pela metade devido à alteração nos valores já que, para cada inscrito atual nos países que receberão a mudança primeiro, serão necessários quase três para que o valor recebido seja equivalente.

Para compensar isso, a empresa anunciou um pacote de incentivos e compensações aos criadores. Ao realizar os pagamentos, a Twitch realizará uma média dos ganhos dos três meses anteriores às mudanças para cada criador. A partir da aplicação dos novos valores, caso os rendimentos caiam, o valor integral anterior será coberto pela plataforma pelo primeiro trimestre; no seguinte, a compensação será de 75% e assim por diante, de 25% em 25% de redução, até que, no período de um ano, os streamers já estejam todos integrados ao novo modelo de monetização dos canais.

Caso batam a meta em um mês, mas não no seguinte, os streamers também poderão receber o incentivo dentro dos parâmetros trimestrais dispostos. Além dos ganhos em si, a Twitch também levará em conta, para o cálculo, questões como o total de assinantes Prime de cada criador e o total de horas transmitidas no trimestre anterior — será preciso registrar pelo menos 85% da média a cada mês para ter direito às compensações. Os criadores terão acesso aos resultados por meio do painel de controle da plataforma, uma vez que as mudanças forem realizadas.

Além disso, os usuários também serão avisados das alterações no momento das mudanças, por meio de comunicados por e-mail, na própria plataforma e também mudanças promocionais. Até lá, tanto eles quanto criadores não precisam fazer nada — aos últimos, a Twitch sugere o foco em novas ferramentas de interatividade e incentivo às assinaturas, para que preparem seus canais para a alteração.

Fonte: Twitch

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.