Telltale diz que "diversos parceiros" querem ajudar a finalizar The Walking Dead

Telltale diz que "diversos parceiros" querem ajudar a finalizar The Walking Dead

Por Rafael Arbulu | 25 de Setembro de 2018 às 11h29
Telltale Games

Uma das produções mais aguardadas dos fãs da Telltale, The Walking Dead: A Temporada Final pode ganhar ajuda para ser concluída apesar do anúncio do estúdio na última sexta-feira (21) de que estaria fechando as portas e demitindo mais de 200 funcionários.

Segundo publicação do próprio estúdio em seu perfil oficial no Twitter, “diversos parceiros em potencial mostraram interesse em ver A Temporada Final completada”. A empresa ressalta que não é algo garantido e não faz nenhuma promessa, mas está negociando com esses parceiros — nenhum nomeado expressamente, ao menos por enquanto — quanto à finalização da temporada. Não é o salvamento do estúdio por si, mas ao menos evita-se que um de seus produtos líderes de público deixe o mercado sem a devida conclusão.

The Walking Dead: A Temporada Final já teve seu primeiro episódio lançado no meio de agosto deste ano e o segundo chega nesta terça-feira (25). Os terceiro e quarto episódios, que até então estavam cancelados, devem ganhar seus fechamentos de produção por meio de um destes “diversos parceiros”, mas ainda não há nenhuma data informada. Todas as temporadas foram lançadas para PlayStation 4, Xbox One, PC e Nintendo Switch.

Quer ficar por dentro das melhores notícias de tecnologia do dia? Acesse e se inscreva no nosso novo canal no youtube, o Canaltech News. Todos os dias um resumo das principais notícias do mundo tech para você!

Entenda o caso

No dia 21 de setembro, última sexta-feira, a Telltale Games — casa de sucessos como Sam & Max, Tales of Monkey Island, Batman: The Enemy Within e The Walking Deadanunciou subitamente o fechamento de suas portas e a demissão de mais de 200 funcionários que, até então, estavam ativamente trabalhando nos próximos lançamentos da empresa. O motivo não foi exatamente detalhado, mas informações divulgadas na mídia falaram em baixo volume de vendas.

Jogos que estavam em desenvolvimento pelo estúdio foram abruptamente cancelados, como a continuação de The Wold Among Us e um jogo baseado na série Stranger Things da Netflix, bem como os episódios finais da temporada final de The Walking Dead — este último, corroborado depois por uma das atrizes do jogo. A situação foi tão repentina que funcionários receberam, via e-mail, um alerta de que teriam 30 minutos para pegar seus pertences e deixar o edifício da sede da empresa em São Rafael, na Califórnia, e as multas por quebra de contrato (ainda) não foram pagas.

The Walking Dead: Final Season (Imagem: Divulgação/Telltale)

Em entrevista concedida à Variety, o cofundador do estúdio, Dan Connors, disse que a empresa não tinha outra opção senão demitir, fechar e declarar falência após uma tentativa de negócios malsucedida:

“A empresa estava trabalhando de maneira diligente para assegurar mais uma rodada de financiamentos. Infelizmente, quando o último investidor em potencial de repente desistiu, nós fomos deixados em uma posição onde não havia outra escolha senão parar as produções. É triste, pois todo mundo estava muito focado em fazer o necessário para manter a empresa funcionando e, quando este último possível parceiro ‘deu para trás’, não tínhamos mais opções”.

Alguns investidores publicamente declarados da Telltale incluem as empresas de investimento de capital IDG Ventures e Granite Ventures, bem como o estúdio cinematográfico Lionsgate Entertainment (responsável pela franquia Jogos Vorazes), que injetou cerca de US$ 40 milhões no estúdio em 2015. Neste último, o CEO do estúdio, Jon Feltheimer, é parte do comitê de direção da Telltale. Não foi informado se o “investidor em potencial” que desistiu do financiamento pertence a alguma dessas empresas ou se tratava-se de um novo nome.

Inclusive, o antigo CEO da Telltale, Kevin Bruner, deixou a empresa por constantes divergências com o comitê de direção, segundo ele próprio disse quando processou a empresa em junho deste ano (um ano antes, Bruner teve uma “saída forçada” do estúdio). No comitê de direção da empresa, além da Lionsgate, estão nomes que vieram de outros estúdios e publishers de jogos, como a Zynga e o ex-CEO da Electronic Arts, John Riccitiello.

Batman: The Enemy Within (Imagem: Divulgação/Telltale)

Sobre a falência da Telltale, Bruner disse em seu blog pessoal:

“Hoje [no dia do anúncio de falência], eu estou mais triste pelas pessoas que estão perdendo seus empregos em um estúdio que elas amam. Também me entristece ver a perda de um estúdio que deu aval para ideias muito loucas, que ninguém mais as consideraria. Sinto um pouco de conforto ao saber que, hoje, existem muitas pessoas e estúdios talentosos criando jogos para o gênero de progressão narrativa. Ainda que eu esteja ansioso por todos esses jogos e novos desenvolvimentos, e continuando as minhas contribuições onde eu posso, eu sempre enxergarei a frase ‘Um jogo da Telltale’ como uma oferta única”.

Ainda que The Wolf Among Us e Stranger Things tenham sido efetivamente cancelados, ao menos a temporada final de The Walking Dead pode ganhar sobrevida para dar uma conclusão digna à saga. Agora, só nos resta esperar para ver como essa trama se desenrola.

Fonte: Telltale (via Twitter); Variety; Bruner House

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.