As 20 melhores trilhas sonoras originais dos games

As 20 melhores trilhas sonoras originais dos games

Por Lucas Arraz | Editado por Bruna Penilhas | 26 de Março de 2022 às 15h00
Montagem/Canaltech/SIE/The Pokémon Company

Como os gráficos e a jogabilidade, a música é parte fundamental na construção da experiência de um jogo. Seja com detalhes para os fones de ouvido ou até para marcar a memória dos jogadores, a trilha sonora é um elemento essencial que cria atmosfera, carrega sensações e ajuda a contar uma história.

Ao longo das gerações, diferentes franquias e compositores criaram conjuntos de faixas capazes de emocionar durante a jogatina e também ultrapassaram barreiras de consoles e PC, chegando a premiações da cultura pop e servindo como fonte de inspiração para artistas. Para ouvidos mais atentos, o Canaltech separou 20 trilhas sonoras com canções originais, indispensáveis para você conhecer ou relembrar. Confira:

20. Persona 5

Persona 5 é um jogo estilo de alucinante, características que são transportadas para a trilha sonora. Composta por Shoji Meguro, a coleção de mais de 100 músicas combinam ritmos como jazz, ópera, pop, rock e boas doses de inspiração em jogos da era 8-bits. Muitas vezes todos esses elementos estão em uma única canção. Entre os destaques da trilha estão as queridas “Life Will Change", "Last Surprise" e "Rivers in the Desert".

19. Super Castlevania IV

Na era dos jogos com gráficos em 16-bit, a música era um elemento essencial para estabelecer o clima de um jogo. Cada faixa de Super Castlevania IV, incluindo inéditas e remixes de músicas anteriores da série, ajuda a estabelecer o tom do sombrio e melancólico da jornada. O ápice da construção da atmosfera é “Prologue”, música sombria que prepara os jogadores para marcharem no Castelo do Drácula após a ressurreição do vilão.

18. Skyrim

Toda a proposta de aventura épica de Skyrim foi traduzida para as músicas do jogo. Compositor responsável, Jeremy Soule recrutou um coro de 30 vozes para cantar na própria língua inventada para o mundo de espadas e dragões da Bethesda. O conjunto de canções combinam um tom sinfônico e emocionante com melodias crescentes que explodem em momentos de batalhas mais acirradas.

17. Chrono Trigger

Chrono Trigger foi desenvolvido por um time dos sonhos que inclui o criador de Dragon Ball Akira Toriyama no design de personagens, o criador de Dragon Quest Yuji Horii e o igualmente lendário Yasunori Mitsuda na trilha sonora. As músicas têm influências da world music e dramas de ópera, com um resultado intenso. Diz a lenda que Yasunori Mitsuda trabalhou tão duro na trilha sonora de Chrono Trigger que acabou hospitalizado com uma úlcera no estômago. Verdade ou não, o resultado são faixas que acompanham o ritmo frenético do jogo com viagens no tempo e múltiplos finais.

16. Mega Man

A trilha sonora de Mega Man é um daqueles exemplos que marcaram uma geração e deixaram um legado duradouro. As músicas traduzem muito bem o estilo 8-bits e futurista da jogabilidade, unindo sintetizadores com melodias chicletes. As canções ajudam a entregar o ritmo das fases, cheias de tiros, velocidade e inimigos, com um casamento perfeito. A trilha sonora mais lembrada da franquia talvez seja de Mega Man II, composta por Takashi Tateishi.

15. Cuphead

A trilha sonora de Cuphead tem inúmeros reconhecimentos pela qualidade das suas composições de jazz instrumental, que incorporam elementos sonoros utilizados em desenhos animados clássicos. Além de faturar os prêmios de Melhor Trilha Sonora do BAFTA Awards de 2018, do Game Audio Network Guild Awards de 2018 e do The Game Awards em 2017, o conjunto de canções de Cuphead foi o primeiro dos videogames a alcançar o primeiro lugar no ranking musical Billboard Jazz Charts. O vinil do jogo ultrapassou lançamentos de cantores como Michael Bublé, provando não só a aceitação do público, como a qualidade das faixas orquestradas com muitos instrumentos de sopro e vocais em coral.

14. Silent Hill 2

Trabalhar em Silent Hill garantiu ao compositor Akira Yamaoka o status de lendário. Mesmo quando os jogos da série decepcionavam, as músicas sempre entregavam o que era exigido em um game de terror. Todo o trabalho de Yamaoka atingiu o ápice em Silent Hill 2. O conjunto de faixas é capaz de acompanhar o tom perturbador do jogo. Para essa obra, o compositor trabalhou para reunir inspirações do rock industrial da banda Nine Inch Nails com as faixas dos filmes de David Lynch. O maior toque de genialidade na trilha de Silent Hill foi a ideia de Yamaoka de misturar efeitos sonoros da jogabilidade com a música tocada na aventura, criando uma sincronia imersiva e aterrorizante.

13. Doom (2016)

As composições de heavy metal criadas por Mick Gordon são pulsantes e guiam a jogabilidade agressiva do reboot de Doom. Para compor faixas violentas e marcantes, Gordon incorporou sons reais, como os de uma motosserra, com ruídos de sintetizadores. Para acompanhar a porção inorgânica, a trilha é complementada por solos de guitarras e um sistema dinâmico que acompanha o modo de jogar. O conjunto de músicas reúne canções que casam com momentos de mistério de Doom, ao mesmo tempo que ganham força e agressividade com sequências mais violentas e épicas da aventura para livrar a terra dos demônios.

12. Kingdom Hearts II

Kingdom Hearts provavelmente seria diferente sem Yoko Shimomura. A compositora ultrapassou as dificuldades de criar uma trilha para um enredo nada linear, com uma grande mistura de mundos, desenvolvendo uma identidade consistente para as músicas da franquia. O ápice do trabalho está em Kingdom Hearts II, que conta com temas magistrais e arrebatadoras, além de temas melancólicos — como não ficar arrepiado com Dearly Beloved? Ainda temos as parcerias com a cantora multiplatinada Utada Hikaru, sendo “Sanctuary” um dos temas mais marcantes, com uma letra que fala sobre amadurecimento e identidade, importantes para a trama.

11. Shadow of the Colossus

Shadow of the Colossus é um RPG muito original, quase experimental em seu lançamento original para PlayStation 2 em 2005. O jogo tem grandes campos abertos com liberdade de locomoção e uma história contada nas sutilezas da jogabilidade. Para acompanhar essa atmosfera de mistério e aventura, a trilha sonora convoca diversos recursos sinfônicos de sopro e orquestras, como cordas clássicas, e os uniu com instrumentos de percussão, criando uma equação que se equilibra dentro do aspecto desbravador da aventura. "The Opened Way", "Revived Power" e "A Violent Encounter" são simplesmente épicas e emocionam qualquer fã do jogo que as escutar.

10. The Last of US Part II

The Last of Us Part II é um jogo visceral, que obriga o jogador a lidar com sentimentos igualmente intensos. Na atmosfera emocionalmente pesada, o compositor Gustavo Santaolalla conseguiu criar faixas que acompanham, com muita sensibilidade, os eventos devastadores do jogo. A trilha possui solos de violoncelo, percussão e guitarras, mas a principal estrela da trilha é o silêncio. O ganhador do Oscar pelas músicas de O Segredo de Brokeback Mountain, valoriza os tempos de silêncio nas faixas de The Last of US Part II, sabendo dar o tempo necessário para o jogador digerir o que se passa na tela.

9. Super Mario Galaxy

A Nintendo já fez verdadeiras mágicas com as trilhas sonoras de jogos Mario. O japonês Koji Kondo, da trilha do Super Mario Bros., por exemplo, criou um conjunto de músicas icônicas dentro da limitação técnica do Nintendinho, que permitia faixas com apenas três notas simultâneas. Mágica também é a palavra que define o conjunto de músicas de Super Mario Galaxy, um dos jogos mais complexos dentro da série quando o assunto é música. As canções utilizam, pela primeira vez na franquia, uma orquestra inteira. Enquanto Mario desbrava o espaço, o jogador ouve composições que misturam xilofone com instrumental clássico.

8. Top Gear

Barry Leitch tinha uma semana para aprender a programar no Super Nintendo com um manual em chinês. O desafio era compor uma trilha para o clássico de corrida Top Gear. A pressa, no caso, foi amiga da perfeição. As músicas do jogo tornaram-se clássicas e até inspiração para músicos na vida real. A banda de rock Muse inspirou-se na canção-tema do jogo no single "Bliss", lançado em 2001. Na última década, Leitch foi convidado para compor músicas para o título brasileiro Horizon Chase, o sucessor espiritual de Top Gear.

7. Journey

De tão impactante, a trilha sonora de Journey e o compositor Austin Wintory foram indicados ao Grammy de Melhor Trilha Sonora para Mídia Visual em 2012, ao lado das composições de filmes como Hugo e Batman - O Cavaleiro das Trevas Ressurge. As canções de Journey levaram três anos para ficarem prontas e são resultado de um trabalho dinâmico, com faixas que reagem às ações do jogador. Se Journey foi um jogo revolucionário, Wintory segurou a responsabilidade de criar um conjunto de sons que acompanham a emocionante narrativa grandiosa, solitária, humana e reflexiva da jornada.

6. Sonic the Hedgehog 2

Composta por Masato Nakamura, a trilha sonora de Sonic the Hedgehog 2 segue os passos que o baixista e compositor trilhou no primeiro jogo da série. Para a segunda aventura do ouriço azul, Nakamura usou de inspiração imagens conceituais do jogo. O que fez diferença e ajudou essa trilha sonora se tornar icônica foi o fato de Nakamura tratar Sonic the Hedgehog 2 como um filme e compor o trabalho enquanto gravava um álbum para a banda Dreams Come True. A influência musical ajudou Nakamura a dar mais profundidade para o conjunto de sons do jogo, facilmente reconhecidos até hoje pelos jogadores. Como um presente para a Sonic Team, Masato produziu uma versão alternativa do tema final com a Dreams Come True, incluída no álbum The Swinging Star.

5. Pokémon

Pokémon é uma daquelas franquias com canções que ultrapassaram os jogos e foram parar em outras mídias, com as músicas incorporadas à animação e outros produtos. É difícil um jogador não reconhecer o tema de batalha ou a música de abertura tradicional, utilizada pela Game Freak em diferentes versões. Brilham mais ainda as faixas criadas para cidades de diferentes jogos da franquia. Mesmo sem ter jogado nenhum título da série, é bem provável que o jogador conheça a misteriosa canção de Lavender Town de Pokémon Red & Blue, os arpejos de harpa de “Cave of Origin” de Pokémon Ruby and Sapphire, além da inconfundível faixa de Ecruteak City, de Pokémon Crystal, que virou sample para a música “Only Wanna Be With You” do Post Malone.

4. Hollow Knight

Hollow Knight é um jogo melancólico sobre um cavaleiro em uma missão suicida em um mundo tomado por morte e zumbis insetos. Curiosamente, o compositor Christopher Larkin não tomou o caminho mais fácil de criar um conjunto de músicas recheadas de melancolia. A trilha sonora de Hollow Knight é sutil, com melodias contidas de pianos e cordas, fato que revoluciona a história e a jogabilidade obscura em uma atmosfera sentimental. A música tira uma emergência e coloca o jogador em um estado de contemplação de um mundo devastado, que precisa ser salvo.

3. The Witcher 3: Wild Hunt

A trilha sonora de The Witcher 3 é bastante única por beber de uma fonte de inspiração pouco comum. O compositor Mikolai Stroinski e a CD Projekt Red miraram em músicas eslavas para o conjunto de canções. Nesse processo, instrumentos folclóricos como Gadoulka, Suka e Gusli formam uma orquestra diferente do que muitos jogadores ouviram na vida. Ao mesmo tempo que é original, a trilha de The Witcher 3 sabe fazer o básico, entregando o necessário em momentos de heroísmo e aventureiros do protagonista Geralt de Rivia. O casamento entre música e atmosfera do jogo é tão perfeito, que o intérprete do personagem na série da Netflix, o ator Henry Cavill, ouve a trilha sonora de The Witcher 3 em preparações para gravações.

2. Final Fantasy

Nobuo Uematsu é um dos nomes mais conhecidos da indústria dos videogames pelo trabalho em composições de Final Fantasy VII e outros jogos da série. O trabalho dele é celebrado por dar grandiosidade à história da franquia, mesmo quando os personagens eram feitos em blocos 2D. Em Final Fantasy VII, o compositor conseguiu criar músicas pulsantes que acompanhavam a sombria e emocionante história do capítulo. Uematsu também é reconhecido por conseguir criar diferentes ambientes sonoros, condizentes com cada mundo independente desenvolvido para a franquia.

1. NieR: Automata

NieR: Automata talvez tenha uma das trilhas sonoras mais adaptáveis e originais dos jogos da última década. As músicas, compostas com instrumentos de cordas, piano, percussão e vocais, possuem diferentes versões. Uma mesma canção que ambienta o mundo pós-apocalíptico, possui uma contraparte em 8-bits, desbloqueada no momento que o protagonista 9S inicia um ataque hacker. No time de composição está Keiichi Okabe, de outros jogos da franquia, além da vocalista Emi Evans em canções hipnotizantes como “Song of the Ancients (Atonement)” e “Vague Hope (Cold Rain)”.

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.