Conheça seis formas de ganhar dinheiro apenas jogando videogames

Por Sérgio Oliveira

É inevitável: todo gamer um dia gostaria de poder ganhar a vida simplesmente jogando videogames. E não estamos nos referindo àquelas dicas que dão por aí do tipo "ah, faz Ciências da Computação e foca em games", ou "faz aquele curso técnico de game designer e vai trabalhar com isso", tampouco "tem aquele torneio ali que só tem profissionais, você deveria participar". Infelizmente, nenhuma dessas coisas é para qualquer um. Estamos falando aqui em transformar o simples hábito de jogar em algo que renda algum dinheiro.

Pode parecer utópico, mas há uma maneira de fazer isso acontecer. Uma não, na verdade seis! E nós listamos elas aqui para você.

Que fique claro, tratam-se apenas de dicas de como fazer dinheiro jogando videogames. Esta não é nenhuma promessa ou receita sobre como ficar rico do dia para a noite. Afinal de contas, se fosse, teríamos inúmeras pessoas ostentando seu status de "novo rico no mundo dos games".

1. Compra e venda de itens

A compra e venda de itens em jogos não é algo novo. Na verdade já faz um tempo que esse conceito existe. No entanto, a coisa atingiu um novo nível quando alguns jogos adotaram um esquema de leilões para compra e venda dos itens.

Há quem diga que tudo explodiu em Diablo III. Nele, os jogadores vendem seus itens aperfeiçoados ou raros a preços incríveis. A Blizzard, produtora do jogo, lucra U$ 1 sobre cada transação e outros 15% vão embora caso o negócio se concretize via PayPal. Mesmo assim, usuários como WishboneTheDog conseguiram fazer cerca de U$ 10.000 apenas com essas transações.

WishboneTheDog ainda publicou um extrato da sua conta no PayPal. Segundo ele, os U$ 10 mil foram obtidos única e exclusivamente através de transações feitas no jogo Diablo III

WishboneTheDog ainda publicou um extrato da sua conta no PayPal. Segundo ele, os U$ 10 mil foram obtidos única e exclusivamente através de transações feitas no jogo Diablo III

No Reddit, ele diz nunca ter usado trapaças para alcançar o feito. "Antes de Diablo III, eu nunca ganhei um centavo com jogos, principalmente porque o comércio neles era ilegal. Agora, investir e negociar faz parte do mercado de itens e é uma das formas que encontrei para me divertir. Não faria sentido se eu usasse quaisquer métodos de trapaça", afirmou.

Apesar desse parecer um bom negócio, a Blizzard já anunciou que desabilitará o recurso de compra e vendas de itens até março de 2014. O motivo, segundo a produtora, são os jogadores malandros que agem de má fé. De toda forma, você ainda tem um tempinho para fazer uma grana por lá - ou pode optar por outros jogos ou serviços que oferecem recursos semelhantes.

2. Testador de jogos

Ser testador de jogos é o emprego dos sonhos de muitos gamers. Afinal de contas, eles passam o dia inteiro jogando, apontando erros e falhas. É a vida que qualquer um deseja, certo? Errado!

Alguns sites mostram o "Lado B" dessa profissão que, na maioria dos casos, é mal remunerada. Entre os principais alertas, destacam-se aqueles que dizem que nem sempre o testador terá a sua disposição seus jogos favoritos e que tudo é feito com muito sigilo profissional.

Algumas das reclamações mais recorrentes são sobre os salários e a instabilidade do trabalho. Em artigo publicado pelo IGN, um testador chamado apenas de Keith revela que "eles nivelam o profissional pela quantidade de erros e bugs que encontra. E é esse número que vai dizer se o funcionário continua ou não no barco".

Sem dúvidas essa é uma forma de ganhar dinheiro jogando videogames, mas talvez você tenha que ter mais cautela se optar por ela.

3. Faça guias, tutoriais e detonados

Há quem diga que guias, tutoriais e detonados estragam a graça de qualquer jogo. Verdade ou não, uma coisa é inegável: existe público para esse tipo de conteúdo e é possível fazer uma grana com eles.

Existem alguns serviços que oferecem ao jogador a possibilidade de escrever e-Books e depois vendê-los. É o caso da Amazon e do Killer Guides, que tem um público imenso e faminto por esse tipo de coisa. Lá, os melhores exemplos de rentabilidade são os guias feitos para O Senhor dos Anéis. Eles geralmente tem 100 páginas, são bem elaborados e custam cerca de U$ 30.

4. Vídeos ainda são um bom negócio

Gravar vídeos do seu gameplay com seus comentários e jogá-los no YouTube ainda é uma boa forma de ganhar uma grana - principalmente se você monetizá-los. Para conseguir isso, o YouTube diz que seus vídeos tem que ter comentários seus do começo ao fim, não apenas em partes específicas.

No entanto, esse tipo de conteúdo vem se tornando mais popular a cada dia que passa e o mercado está começando a saturar. A chegada do PlayStation 4 e Xbox One deve contribuir ainda mais com isso, já que os consoles prometem facilitar a captura de vídeos do gameplay dos jogadores.

A saída, portanto, é apostar na inovação e no inusitado para se tornar relevante, ter muitas visualizações e tornar o negócio rentável. Foi o que fez o usuário PewDiePie que apostou na comédia para fazer as pessoas rirem enquanto assistem aos seus vídeos. Hoje, ele tem mais de 16 milhões de pessoas inscritas em seu canal e boa parte dos seus vídeos tem mais de um milhão de visualizações.

5. Evolua seus personagens e os venda

Esse é, talvez, o método mais conhecido por todos. Comum entre aqueles que jogam World of Warcraft, a venda de personagens fortes e equipados com todo tipo de habilidade, armas e magias faz parte da rotina de quem acompanha esse MMORPG.

A prática é proibida pelos termos de uso do jogo e foi banida de sites de leilão populares, como o eBay. A ação, no entanto, abriu espaço para o surgimento de sites especializados no assunto, como é o caso do Armory Bids e o Player Auctions, onde alguns personagens chegam a custar algumas dezenas de milhares de dólares.

6. Use os jogos como um meio de treinamento para uma nova profissão

Tudo bem, essa talvez seja a forma mais difícil de se ganhar dinheiro com videogames, principalmente se você não souber absolutamente nada sobre o mercado da profissão que deseja ter. Mas ainda assim, é uma possibilidade e já aconteceu algumas (poucas) vezes.

É o caso do jovem Jann Mardenborogh de 22 anos. Ele era apenas um fanático por Gran Turismo que passava horas e horas em busca da curva perfeita e dos ajustes perfeitos para os seus carros. Até que ele decidiu participar de um campeonato virtual.

Após fazer 90 mil competidores comerem poeira no campeonato, Jann foi convidado a participar da GT Academy, uma competição patrocinada pela Nissan e Sony. Nela, ele pôde pilotar um Nissan (dessa vez de verdade) nas 24 Horas de Dubai.

Surpreendentemente, ele ficou em terceiro lugar na sua classe e foi convidado sucessivamente a participar de outras competições no mundo real. "Foi um processo natural para mim. Eu nunca havia pilotado um carro de verdade antes, só fiz isso em Gran Turismo. Mesmo assim, tudo pareceu absolutamente natural para mim", disse o rapaz depois de alcançar a Fórmula 3.

Inscreva-se em nosso canal do YouTube!

Análises, dicas, cobertura de eventos e muito mais. Todo dia tem vídeo novo para você.