Maior parte dos usuários não vê benefícios nos gadgets vestíveis, diz estudo

Por Redação | 27.12.2013 às 06:10

Os chamados gadgets "vestíveis" já são realidade em nosso dia a dia. Óculos inteligentes, smartwatches... Mas afinal, será que a popularidade deles também é uma certeza no cenário tecnológico? Segundo estudo da Harris Interactive divulgado pelo eMarketer, tudo indica que não.

A pesquisa, realizada com usuários norte-americanos em novembro, mostra que apenas 3% dos internautas que participaram do levantamento possuem um dispositivo do tipo. A maior concentração de gadgets vestíveis está na faixa etária de 49 a 67 anos, com 4%.

Cerca de 17% dos entrevistados afirmaram que considerariam comprar um equipamento quando o preço estiver mais acessível. Já 9% acreditam que o maior obstáculo para adquirir, por exemplo, um Google Glass, é a grande quantidade de "bugs" ainda existentes.

Mas a maior surpresa fica por conta da parcela de pessoas que afirmou que nunca comprará um gadget vestível: 19%. Enquanto isso, 36% não souberam responder.

No que diz respeito aos benefícios que um aparelho do segmento poderia trazer ao usuário, outros 46% também foram pessimistas e afirmaram que não veem nenhum benefício. Em segundo lugar, está a possibilidade de mais informação (26%), seguido de aumentar a produtividade (18%) e tornar o usuário mais saudável (14%).

Um dos entraves também citados pela Harris Interactive foi a privacidade. A pesquisa descobriu que 28% dos internautas entrevistados têm medo de ficar mais vulneráveis ao usar um gadget vestível, principalmente no que diz respeito ao acesso de informações pessoais.

E você? Consideraria comprar um gadget vestível? Se sim, qual? Conte pra nós nos comentários!