Vulcões subterrâneos podem explicar existência de água líquida em Marte

Vulcões subterrâneos podem explicar existência de água líquida em Marte

Por Patrícia Gnipper | 18 de Fevereiro de 2019 às 22h20
NASA

Em julho do ano passado, descobriu-se a existência de água líquida em Marte, localizada abaixo da calota polar a mais ou menos 1,5 quilômetro abaixo da superfície. Agora, outros pesquisadores estão argumentando que, para que a água exista ali no estado líquido, só pode haver uma fonte de calor que venha do interior do planeta — de repente vulcões subterrâneos.

A equipe, que trabalha no Laboratório Lunar e Planetário da Universidade do Arizona, analisou quais seriam as temperaturas necessárias no subsolo para que a água líquida exista sob a calota polar, considerando o papel dos sais que estão presentes em rochas marcianas (já que eles abaixam o ponto de fusão do gelo, o que torna possível a água se manter em estado líquido em locais com temperaturas mais frias). Contudo, mesmo considerando a presença dos sais, os especialistas constataram que ainda assim Marte é frio demais para abrigar água líquida, a não ser que exista uma fonte de calor subterrânea.

Talvez exista magma se movendo no subsolo de Marte, elevando-se do interior profundo em direção à superfície. Ao contrário do que acontece com um vulcão em erupção, quando o magma quente sobe à superfície dessa maneira, esse magma não se rompe, formando um bolsão de magma sob o solo — e a equipe acredita que isso possa ter acontecido em Marte há cerca de 300 mil anos. Como o magma é extremamente quente e é resfriado lentamente, é possível que, dentro desse intervalo de tempo, o calor da câmara ainda alcance a superfície, permitindo que a água fique em estado líquido naquela região polar mesmo nos dias de hoje.

Quer ficar por dentro das melhores notícias de tecnologia do dia? Acesse e se inscreva no nosso novo canal no youtube, o Canaltech News. Todos os dias um resumo das principais notícias do mundo tech para você!

O polo sul de Marte, que abriga água líquida sob a calota polar (Foto: NASA)

“Isso implicaria que ainda há formação ativa de câmara de magma acontecendo no interior de Marte, que não seria então apenas um lugar frio e morto internamente. Se ainda existem processos magmáticos ativos hoje, talvez eles fossem mais comuns no passado recente e pudessem fornecer fusão basal mais difundida. Isso poderia fornecer um ambiente mais favorável para a água líquida e, talvez, à vida”, explica Ali Bramson, pesquisador e co-autor de um artigo sobre esta teoria.

Vale ressaltar que a ideia de que atividades vulcânicas no subterrâneo de Marte são as responsáveis pela existência de água líquida abaixo da calota polar ainda é uma especulação e, ainda que tenha chances de se provar verdadeira, outras possibilidades que expliquem a água líquida sob a calota polar de Marte também devem ser consideradas e estudadas antes de qualquer conclusão oficial.

Fonte: American Geophysical Union

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.