Virgin Galactic é liberada para retomar seus voos suborbitais; entenda

Virgin Galactic é liberada para retomar seus voos suborbitais; entenda

Por Danielle Cassita | Editado por Patrícia Gnipper | 30 de Setembro de 2021 às 10h19
Virgin Galatic

Em julho, a Virgin Galactic realizou seu primeiro voo totalmente tripulado com o avião espacial SpaceshipTwo, que levou seis tripulantes a bordo. Ao fim do voo, eles pousaram em segurança, mas alguns incidentes ocorridos durante a empreitada renderam uma investigação por parte da Federal Aviation Administration (FAA), entidade reguladora de voos nos Estados Unidos. Após seis semanas de investigação, a FAA anunciou nesta terça-feira (29) que concluiu o processo e que a Virgin Galactic já pode retomar os voos. 

Naquele dia, o avião VSS Unity decolou com Richard Branson, fundador da empresa, acompanhado de outros cinco tripulantes, naquele que foi o quarto voo tripulado realizado pela Virgin Galactic, mas o primeiro que levou uma tripulação completa em uma missão suborbital. Tudo pareceu correr bem, mas uma reportagem do jornal The New Yorker, publicada em setembro, afirmava que o avião saiu do espaço aéreo designado e algumas luzes de alerta se acenderam no painel, avisando os pilotos sobre a necessidade de corrigir a trajetória do avião. 

Quer ficar por dentro das melhores notícias de tecnologia do dia? Acesse e se inscreva no nosso novo canal no youtube, o Canaltech News. Todos os dias um resumo das principais notícias do mundo tech para você!

Após a publicação, a FAA iniciou uma investigação junto da Virgin Galactic e suspendeu novos voos até a conclusão do processo. “A FAA descobriu que a Virgin Galactic não comunicou o desvio como foi solicitado”, afirmaram em um e-mail, destacando que exigiram que a empresa implementasse mudanças na forma como se comunica com a instituição para manter o público seguro. “A Virgin Galactic fez as correções necessárias e pode retornar às operações de voo”, finalizou a instituição.  

Segundo um representante da FAA, essas correções incluem novos cálculos para expandir o espaço aéreo designado pelo controle de tráfego aéreo durante os voos do SpaceShipTwo. Isso proporcionará uma área maior para que a empresa tenha espaço aéreo protegido para as diversas trajetórias de voo que podem ser seguidas durante as missões espaciais. Além disso, a empresa também se comprometeu a realizar alterações nos procedimentos de voo para garantir notificações da missão em tempo real, enviadas ao controle de tráfego aéreo.

Em um comunicado, Michael Colglazier, presidente-executivo da Virgin Galactic, agradeceu a análise da FAA. “Nosso programa de testes de voo foi projetado especificamente para melhorar continuamente nossos processos e procedimentos”, explicou ele. “As atualizações do espaço aéreo e protocolos de notificação de missão em tempo real vão fortalecer nossos preparativos conforme nos aproximamos do lançamento comercial da nossa experiência de voos espaciais”, disse.  

A empresa ainda tem alguns voos de teste à frente para concluir antes de dar início às operações comerciais. A próxima missão irá levar membros da Força Aérea Italiana e tem lançamento programado para outubro. Depois disso, a Virgin Galactic planeja realizar um trabalho de atualização e manutenção no avião VMS Eve, que libera o VSS Unity a uma altitude de 15 km para ativar seus motores e seguir viagem.  

Fonte: Space.com, SpaceNews

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.