Telescópio espacial TESS registra explosão de cometa; veja o GIF

Por Felipe Junqueira | 04 de Dezembro de 2019 às 19h00
W. Liller/Nasa
Tudo sobre

NASA

Saiba tudo sobre NASA

Ver mais

Astrônomos usaram dados do telescópio espacial TESS para estudar a explosão de um cometa durante sua aproximação ao Sol. A pesquisa resultou em um artigo publicado no Astrophysical Journal Letters e também em um GIF animado mostrando a explosão. Foi a primeira vez que a humanidade conseguiu imagens tão claras de um evento desse tipo.

O cometa em questão é o 46P/Wirtanen, que teve o ponto de maior aproximação com a Terra em 16 de dezembro do ano passado. A explosão de gás e poeira captada pelo TESS, entretanto, começou em 26 de setembro, dissipando-se durante os 20 dias seguintes.

A explosão começou com um brilho forte e aconteceu em duas fases. O primeiro episódio durou cerca de uma hora e foi seguido por outro mais gradual, que foi aumentando a intensidade durante 8 horas. Os pesquisadores acreditam que essa segunda fase pode ter ocorrido pelo espalhamento gradual da poeira, que aumentou a intensidade do brilho.

GIF da explosão de gás e poeira do cometa Wirtanen (Imagem: NASA)

Após a explosão, o 46P/Wirtanen ficou praticamente indetectável durante duas semanas. Imagens do TESS são captadas a cada 30 minutos, o que permitiu aos pesquisadores analisar cada fase da explosão com bastantes detalhes.

“Com imagens frequentes em um período de 20 dias, pudemos avaliar as mudanças de brilho com muita facilidade”, explicou Tony Farnham, autor principal do estudo. “Não podemos prever quando um cometa vai explodir. Mas mesmo que de alguma maneira pudéssemos agendar essas observações, não poderíamos ter acertado melhor o tempo. A explosão aconteceu poucos dias depois de as observações começarem”, celebrou.

Fato comum

Os cometas viajam pelo Sistema Solar geralmente acompanhados de um pouco de evaporação do gelo em seu núcleo. Conforme se aproximam do Sol, esses gases aumentam, formando uma atmosfera difusa chamada coma. Essa atividade pode ser intensificada pela explosão espontânea de uma área da superfície.

Ainda não se sabe o que pode causar essas explosões, mas as imagens do TESS são o primeiro passo para compreendermos esses eventos, que são até comuns. Sabe-se que está relacionado à atividade na superfície do cometa, mas o gatilho que faz com que uma gigantesca nuvem de gás e poeira se espalhe rapidamente é desconhecido.

De acordo com cálculos estimados dos pesquisadores, o cometa 46P/Wirtanen soltou cerca de 1 milhão de quilos de massa durante a explosão, o que pode ter criado uma cratera de aproximadamente 20 metros de diâmetro em sua superfície. Ainda serão feitas análises mais aprofundadas da poeira para uma estimativa mais precisa.

Fonte: NASA

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.