SpaceX perde contato com 3 satélites Starlink; demais funcionam bem

Por Patrícia Gnipper | 02 de Julho de 2019 às 14h03
Tudo sobre

SpaceX

Saiba tudo sobre SpaceX

Ver mais

No final de maio, a SpaceX lançou os primeiros 60 satélites da constelação de milhares de unidades do projeto Starlink, que pretende oferecer internet de alta velocidade a qualquer região do planeta. Agora, a empresa confirma que quase todos estão funcionando devidamente — com a exceção de três, que não estão conseguindo se comunicar com os controles da empresa.

O trio de satélites que apresenta defeito nas comunicações continuará a orbitar a Terra por um tempo, até que sejam "sugados" para baixo rumo à reentrada na atmosfera. Quando isso acontecer, eles serão completamente queimados, sem risco de colisão com o solo.

Os demais 57 satélites seguem em bom estado, e 45 deles já aumentaram suas altitudes com seus propulsores próprios, atingindo suas órbitas finais de até 550 km. Cinco ainda estão no processo de elevar sua órbita, e outros cinco no momento estão sendo verificados antes que essa elevação aconteça. Os dois satélites restantes serão usados para testar o sistema de reentrada na atmosfera, onde serão destruídos.

Sendo assim, contando os três defeituosos e os dois de teste, serão cinco satélites no total que serão queimados na atmosfera, com os demais 55 iniciando a constelação de satélites Starlink, que prevê um total de 12 mil unidades quando o projeto estiver a pleno vapor. A SpaceX já recebeu autorização para lançar um novo lote de 4.409 satélites, e depois lançará outro com 7.518.

O projeto, que é fundamental para as receitas da empresa espacial, oferecerá conexão veloz de internet para qualquer região do planeta, incluindo áreas rurais e remotas onde, hoje, a conexão com a internet é bastante precária — quando existe. Em breve, a empresa de Elon Musk começará a usar os satélites Starlink para transmitir vídeos e partidas de videogame em alta largura de banda, tudo para testar o sistema e ver quanto tempo haverá de atraso na transmissão.

Ainda não está claro quando a companhia lançará o próximo lote de satélites, mas Musk disse que prefere fazer diversos lançamentos contínuos com 60 unidades em cada voo, atingindo o objetivo de posicionar entre mil e dois mil satélites por ano. Então, a empresa precisará de cerca de 24 lançamentos para oferecer uma cobertura global de internet.

Fonte: The Verge

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.