O rover Perseverance já percorreu metade do caminho para chegar a Marte

Por Danielle Cassita | 28 de Outubro de 2020 às 18h30
NASA/JPL-Caltech
Tudo sobre

NASA

Saiba tudo sobre NASA

Ver mais

No final de julho, a NASA lançou a missão Mars 2020, que leva o rover Perseverance e o helicóptero Ingenuity ao Planeta Vermelho. Segundo um novo comunicado do Laboratório de Propulsão a Jato (JPL), o rover já viajou mais de 235,4 milhões de quilômetros no espaço profundo — o equivalente à metade para chegar a Marte.

Desde quando foi lançada, a missão registra informações de quanto do trajeto já foi percorrido e chegou à marca dos 235,4 milhões de quilômetros — que, na prática, é a mesma distância que ainda falta para a nave alcançar a atmosfera do Planeta Vermelho em 18 de fevereiro de 2021. Julie Kangas, navegadora da missão no JPL, da NASA, disse que às 17h40 (horário de Brasília) desta quarta-feira (28) a nave veria "tantas milhas em seu espelho retrovisor imaginário quanto em seu pára-brisa imaginário"

O rover Perseverance já chegou a metade do caminho (Imagem: Reprodução/NASA/JPL-Caltech)

A definição da trajetória para Marte — e para qualquer outro lugar no Sistema Solar — é feita com base na influência gravitacional do Sol e do movimento relativo dos dois planetas, e é por isso que o Perseverance vem seguindo não uma reta, mas sim uma trajetória curva. “Embora estejamos na metade da distância necessária para viajar para Marte, o rover não está na metade do caminho entre os dois mundos”, explica ela. "Em linha reta, a Terra fica a 42,7 milhões de quilômetros atrás do Perseverance, enquanto Marte está a 28,8 milhões de quilômetros à frente”, diz. Na distância atual, são necessários 2 minutos e 22 segundos para que as transmissões viajem dos controladores da missão do JPL para a nave. No momento do pouso, a transmissão vai levar 11,5 minutos para alcançar a nave.

E não pense que as últimas semanas foram tranquilas para a equipe: eles continuam realizando verificações dos sistemas da nave para garantir que tudo continua funcionando bem, e os testes feitos com os instrumentos da nave mostraram que estão funcionando como o esperado. "Se faz parte da nossa nave e tem eletricidade, queremos confirmar que ainda está funcionando corretamente depois do lançamento", explica Keith Comeaux, vice engenheira-chefe da missão.

Kangas comenta que a trajetória da missão é um ótimo avanço: “embora eu não ache que vai ter bolo, principalmente porque a maioria de nós está trabalhando de casa, é um avanço incrível” diz, ressaltando que a próxima parada será na cratera Jezero, que é onde o rover irá pousar. A cratera tem 45 km de extensão e, no passado, abrigou um lago e o delta de um rio. Assim, o Perseverance, que tem tamanho de um carro, irá caracterizar a geologia da área e o clima detalhadamente, além de buscar possíveis sinais de antigas formas de vida microbianas. Além disso, a missão Mars 2020 será a primeira a coletar e armazenar amostras do solo e rochas marcianas.

Fonte: JPL, Space.com

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.