O que são aqueles "bipes" que ouvimos durante as transmissões da NASA?

Por Rafael Rodrigues da Silva | 18 de Janeiro de 2020 às 18h30
Tudo sobre

NASA

Saiba tudo sobre NASA

Ver mais

Qualquer um que já assistiu a transmissões espaciais provavelmente já reparou que, durante toda a comunicação entre os astronautas e o centro de comando na Terra, há um “bip” bem característico "pipocando" o tempo todo. Mas você já se perguntou alguma vez o que seria esse barulho e se por acaso ele teria alguma função?

Incrivelmente, esse “bip” não apenas tem uma função importante na comunicação, como também tem nome próprio, sendo conhecido como Tons de Quindar. Esses Tons são constituídos de dois sons (ou “bips”) diferentes, sendo o primeiro um sinal na frequência de 2525 KHz durante um período de 250 milisegundos, e o segundo um de 2475 KHz durante um período de também 250 milisegundos. Esses sons servem para marcar o início e o fim de uma mensagem enviada da Terra para os astronautas, com o primeiro tom (ligeiramente mais agudo) marcando o início, e o segundo tom marca o fim da transmissão.

Esses sons são usados porque o CapCom (sigla de capsule communicator, que é o nome dado à pessoa na Terra responsável por fazer a comunicação direta com os astronautas) normalmente fica em uma sala com diversos outros operadores, o que faz com que o barulho do ambiente seja bem alto - o que pode atrapalhar a comunicação. Então, a NASA decidiu que a melhor opção para se comunicar com os astronautas seria o uso de um sistema de microfones PTT (push-to-talk), que só “liga” o microfone no momento em que o usuário aperta um botão.

Assim, o sistema funciona mais ou menos como um walkie-talkie ou aqueles rádio comunicadores usados por seguranças: o CapCom apertaria o botão de liberar o microfone na hora de recitar a mensagem, e soltaria assim que ele tivesse terminado o que precisava falar, para evitar que os outros sons ambientes sejam enviados e atrapalhem o áudio recebido pelos astronautas.

Normalmente, este tipo de comunicação é extremamente simples de se implementar, mas, por conta de algumas necessidades específicas da NASA, o sinal não é diretamente enviado para os astronautas, passando primeiro por diversas estações ao redor de todo o globo antes de ser enviado para o espaço. Essa transmissão entre as estações é feita através de linhas telefônicas dedicadas especialmente para esse tipo de comunicação.

Originalmente, o sistema foi desenvolvido para o envio apenas de áudio, mas como o sistema PTT da NASA precisaria não apenas transmitir a voz como também ligar e desligar os transmissores espalhados pelo mundo (para que eles também funcionem como um sistema PTT), a solução encontrada foi utilizar a mesma linha usada para o envio de voz para enviar também sinais de controle.

Por isso, aqueles bips que escutamos - os Tons de Quindar - seriam os comandos de controle enviados pela NASA para ligar ou desligar os transmissores remotos que estão localizados em diversas estações de controle ao redor do mundo, e pelas quais as mensagens de áudio enviadas pelo CapCom passam antes de serem transmitidas para o espaço. Assim, sempre que o transmissor recebe uma sinal na frequência de 2535 KHz por 250 milissegundos, ele então sabe que o CapCom apertou o botão para abrir o microfone e também “abre” a transmissão da mensagem. Quando ele recebe um sinal de 2475 KHz por 250 milissegundos é o sinal de que o CapCom fechou o microfone, e assim ele também “fecha” a transmissão, ignorando qualquer outro tipo de sinal que possa, por algum motivo, passar por aquela linha.

Esses Tons de Quindar aparecem para nós na forma de “bips” porque, como a NASA não queria gastar mais dinheiro para construir uma segunda infraestrutura de transmissão e utiliza o mesmo fio tanto para os sinais quanto para a voz, fez-se necessário que esse sinal tivesse uma frequência possível de ser captada pelo ouvido humano para que a transmissão ocorresse sem problemas.

Já no caso dos astronautas, o sistema usado é do tipo VOX (ativado por voz) por dois motivos: primeiro porque muitas vezes o astronauta estará com as mãos ocupadas e não pode ficar apertando um botão, e o outro motivo é porque as mensagens deles já vão direto para a estação de controle da NASA, sem a necessidade de passar primeiro por dezenas de estações transmissoras.

Assim, quando você estiver assistindo a uma transmissão da NASA e ouvir esses “bips”, saiba que o mais agudo deles serve para indicar que a estação na Terra começou o envio de uma mensagem, e o tom mais grave marca o fim da transmissão da base terrestre. O curioso é notar que, normalmente, esses dois “bips” só costumam ser percebidos por quem está ouvindo a transmissão de fora, já que aqueles que estão na base da NASA não escutam nada (para eles não existe sinal sonoro, apenas o botão sendo apertado), e para o astronauta no espaço o sinal de início normalmente chega embaralhado junto com o começo da mensagem.

Agora, o sinal do fechamento do microfone é muito útil para aqueles que estão no espaço, pois, como ele chega depois da última palavra (já que o CapCom termina de dizer a mensagem e então solta o botão do microfone), esse segundo tom serve como indicativo de que a missão do controle da missão realmente chegou ao fim, e não apenas que o operador precisou respirar antes de continuar falando.

Fonte: Jalopnik

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.