Novo programa da NASA une cientistas para investigar passado da vida na Terra

Novo programa da NASA une cientistas para investigar passado da vida na Terra

Por Danielle Cassita | Editado por Rafael Rigues | 17 de Maio de 2022 às 18h45
qimon/Pixabay

O projeto LIFE: Early Cells to Multicellularity é um novo programa de astrobiologia da NASA que poderá ajudar os cientistas a entender como procurar vida em outros planetas. Apresentada pela NASA nesta segunda-feira (16), a iniciativa vai unir ao longo de cinco anos cientistas de todo o mundo para investigar processos biológicos primordiais e a evolução da vida em organismos complexos.

Antes de procurar vida em outros mundos, os cientistas precisam, primeiro, saber exatamente o que devem procurar. Para isso, eles têm que desvendar o mistério da origem e evolução da vida. “Este é o único planeta que sabemos que contém vida”, disse Betül Kaçar, professora assistente da Universidade de Wisconsin. “Se não a entendemos aqui, como podemos encontrá-la em outros lugares?”

Placas de Petri com culturas de moléculas de DNA primordial (Imagem: Reprodução/Jeff Miller)

Kaçar irá liderar o LIFE junto de outros pesquisadores, trabalhando com o objetivo de discernir as regras da coevolução entre organismos e o ambiente para, assim, prever como a vida pode evoluir em outros planetas. “Sabemos que a jornada de células únicas para a multicelularidade dependeu de inovações ambientais e biológicas críticas”, explicou ela.

Ariel Anbar, da Arizona State University, é um dos membros do projeto, e aponta que o trabalho deles irá depender dos objetivos da comunidade científica. “É uma oportunidade para desenvolver novas ideias de pesquisa, que não conseguiríamos ter de outra forma”, ressaltou. “Queremos experimentar imaginar, começar a prever, como a vida em outros mundos pode evoluir”, finalizou.

Os pesquisadores querem investigar também como a presença e abundância de outros elementos afetam a evolução da vida, e como os processos biológicos acontecem a partir das restrições dos períodos geológicos que os originaram. “Grandes perguntas exigem várias perspectivas, e vamos unir a paleontologia, biologia, geologia e a química à mesa, para observar estas questões”, explicou Mary Droser, da Universidade da Califórnia.

O projeto LIFE se junta a outras diferentes redes de pesquisa em andamento através do programa de astrobiologia da NASA. As outras iniciativas incluem programas focados no estudo e caracterização dos planetas com maior potencial para a vida, pesquisas de detecção de vida, estudos comparativos para a caracterização da Terra e demais exoplanetas com oceanos, entre outros.

Fonte: NASA; Via: Forbes

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.