Nave de cargueira da China deixa estação espacial após meses de testes

Nave de cargueira da China deixa estação espacial após meses de testes

Por Wyllian Torres | Editado por Patrícia Gnipper | 31 de Março de 2022 às 15h39
CMSA/BACC

A nave cargueira Tianzhou-2 deixou o módulo central da estação espacial chinesa no último domingo (27) após realizar uma série de testes de acoplamento em órbita, reabastecimento e transposição de módulos. A nave reentrou na atmosfera por volta das 07h40 (horário de Brasília) desta quinta-feira (31), acima do Pacífico Sul.

Tianzhou-2 foi verificou uma série de procedimentos automáticos no módulo central Tianhe. Agora, o caminho está livre para a próxima nave cargueira, a Tianzhou-4, que abastecerá a unidade com combustível e suprimentos para a próxima missão tripulada, a Shenzhou-14, prevista para ser lançada no final de maio.

Nave cargueira Tianzhou-2 (Imagem: Reprodução/CMS)

Lançada em maio do ano passado pelo foguete Long March 7, a missão da Tianzhou-2 durou cerca de 10 meses para verificar as tecnologias e procedimentos que ajudarão a concluir a construção da estação espacial da China. Com 13,5 toneladas, a nave cargueira foi a primeira a se acoplar ao módulo Tianhe.

A nave entregou mais de 4 toneladas de cargas, incluindo três meses de comida para os três taikonautas da missão Shenzhou-12, além de dois trajes de Atividades Extra-Veiculares (EVA, na sigla em inglês). Ela também abasteceu o módulo central com 1,95 toneladas de propelente.

Testes da Tianzhou-2

Ao todo, a nave cargueira executou quatro manobras de encontro e atracação, incluindo uma acoplagem realizada de maneira manual e remota. Tianzhou-2 também testou a transposição de módulos com o braço robótico da unidade Tianhe, movida por 20 graus antes de ser colocada no porto de ancoragem.

À frente, o módulo central Tianhe e a nave Tianzhou-2 atracada na porta dianteira (Imagem: Reprodução/CMS)

Esse procedimento servirá para transposição dos dois futuros módulos da estação chinesa, Wentian e Mengtian, previstos para serem lançados no fim desse ano. Ambas unidades atracarão na porta dianteira do módulo Tianhe e serão transferidos pelo braço robótico para seus respectivos encaixes laterais.

Até o fim de 2022, a China realizará mais seis missões para concluir a estação espacial. A missão Shenzhou-13, atualmente ancorada ao módulo Tianhe, voltará para a Terra em meados de abril. É quando a nave cargueira Tianzhou-4 será lançada, um pouco antes da próxima missão tripulada chegar à unidade orbital.

A Shenzhou-14 também levará os dois novos módulos da estação chinesa. Outra nave cargueira, a Tianzhou-5, será lançada antes da missão Shenzhou-15 — cujos lançamentos são previstos para o fim do ano. Espera que este último reabastecimento ocorra com a estação chinesa inteira.

A Tianzhou-5 também levará cinco pequenas cargas úteis de satélites e diversos experimentos. Os próximos lançamentos também avaliarão o uso do foguete Long March 5B que, em suas duas últimas decolagens, realizou reentradas descontroladas.

Fonte: Via SpaceNews

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.