Natal no espaço: há 51 anos, astronautas emocionavam o mundo ao vivo pela TV

Por Patrícia Gnipper | 24 de Dezembro de 2019 às 13h55
Bill Anders/NASA
Tudo sobre

NASA

Saiba tudo sobre NASA

Ver mais

Em 1968, os astronautas da Apollo 8 celebraram o Natal de um jeito até então inédito: no espaço. Mais especificamente, na órbita da Lua, com a missão da NASA que foi a primeira a levar astronautas à órbita do nosso satélite natural. E tudo foi transmitido ao vivo ao mundo todo pela televisão, com o trio de astronautas (Frank Borman, "Jim" Lovell e "Bill" Anders) emocionando o planeta não somente com uma mensagem natalina vinda do espaço, como também com a foto que foi chamada de Earthrise — aquela icônica imagem da Terra vista da Lua que ilustra a capa desta matéria.

A missão foi lançada no dia 21 de dezembro, com os astronautas retornando ao nosso planeta no dia 27 do mesmo mês. Enquanto a nave orbitava a Lua, o trio filmava e fotografava o satélite natural de maneira sem precedentes e, na transmissão ao vivo no dia 24, revezaram a leitura do Livro de Gênesis, lendo os dez primeiros versículos desta passagem do Antigo Testamento.

Deixando de lado as críticas relacionadas a misturar ciência com religião, o momento foi emocionante a quem acompanhava tudo pela TV, com as imagens mostrando a superfície da Lua e também revelando a Terra vista de longe enquanto a leitura acontecia em alto e bom som. Na época, a transmissão foi o programa de televisão mais assistido da história dos Estados Unidos.

Borman posteriormente revelou que, apesar de sua maior preocupação em sua missão ter sido "chegar lá antes dos russos e voltar para casa depois", foi ele quem sentiu a necessidade de dizer "algo apropriado" durante a histórica transmissão ao vivo na véspera de Natal, escolhendo, então, o Livro de Gênesis para tal. "No começo, Deus criou o céu e a terra...", ele começou, com a transmissão sendo encerrada com "a tripulação da Apollo 8 fecha com boa noite, boa sorte e um Feliz Natal, e Deus abençoe a todos vocês na boa Terra".

A lendária foto da Terra vista da Lua não estava nos planos da missão. Anders teve a ideia de tirá-la depois de se admirar com a beleza de nosso planeta visto de longe (Foto: NASA)

Até os dias atuais, a Apollo 8 é considerada um dos empreendimentos mais ousados da exploração espacial, e talvez o mais perigoso da história da NASA. Havia um perigo real de se levar humanos ao espaço contando com o então novo e poderoso foguete Saturn V pela primeira vez e, entre tudo o que poderia dar errado, estava o risco à vida da tripulação. Mas os EUA não apenas precisavam proporcionar algum feito lendário para se orgulhar em meio à Guerra do Vietnã, como ainda participavam da Corrida Espacial contra a União Soviética — que, até então, estava vencendo a batalha.

A Apollo 8 deu 10 voltas ao redor da Lua na véspera de Natal e, no dia 25 de dezembro de 1968, os motores da nave eram acionados para iniciar o retorno ao lar. Dois dias depois, o trio de astronautas voltava triunfante ao nosso planeta — pela primeira vez, humanos saíram da Terra, visitaram a Lua e voltaram para casa em segurança, com a revista Time classificando os três astronautas como os "Homens do Ano".

William Anders, James Lovell e Frank Borman (Foto: Reprodução)

Eles ainda estão vivos, por sinal. Borman e Lovell estão com 91 anos, e Anders tem 86. Borman e Anders nunca mais voltaram ao espaço depois da Apollo 8, mas Lovell comandou a quase trágica Apollo 13, que, por conta de um problema durante o voo, fez com que os astronautas proferissem a clássica frase "Houston, we have a problem" ("Houston, nós temos um problema"), sendo forçados a realizar medidas de emergência para retornarem à Terra em segurança, deixando seu pouso na superfície lunar para a missão seguinte.

Fonte: NASA

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.