"Houston we've had a problem": Apollo 13 completa 45 anos

Por Redação | 13.04.2015 às 07:30 - atualizado em 13.04.2015 às 17:19
photo_camera Nasa

Neste dia 13 de abril faz 45 anos que o piloto do módulo de comando da missão Apollo 13, da Nasa, John Swigert disse a célebre frase "Houston we've had a problem" depois que um dos tanques de oxigênio da nave em que ele e sua equipe estavam explodiu e determinou o completo fracasso da missão.

A Apollo 13 deveria ser a terceira tentativa do programa Apollo de pousar na Lua. Seu objetivo era chagar até uma área do satélite conhecida por Fra Mauro, mas uma explosão a bordo fez com que ela fosse forçada a apenas dar a volta na Lua sem pousar e retornasse imediatamente à Terra. Apesar de tudo, como todos os membros da tripulação sobreviveram, a Apollo 13 foi considerada pelo comandante James A. Lovell Jr. uma "falha bem-sucedida". A tragédia custou US$ 375 milhões à agência.

Tripulação Apollo 13

Os tripulantes da missão. Da esquerda para a direita, o comandante James Lovell Jr., o piloto do módulo de comando John Swigert e o piloto do módulo lunar Fred Haise Jr. Foto: Nasa

Catástrofe no espaço

O lançamento da Apollo 13 foi feito no dia 11 de abril. Além de Swigert, faziam parte da tripulação o comandante James A. Lovell Jr. e o piloto do Módulo Lunar Fred W. Haise Jr. Tudo corria bem durante os primeiros dois dias da missão e aquele parecia ser um dos voos mais tranquilos já feitos pelo programa Apollo.

Depois de quase dois dias de missão, um dos comunicadores de plantão na Nasa emitiu uma mensagem dizendo que a nave estava em ótima forma. Ele ainda disse algo que pode ser traduzido livremente como "estamos morrendo de tédio aqui". Foi, provavelmente, a última vez que alguém falou isso por um bom tempo no Centro de Controle da Missão.

Apollo 13

Com cerca de 55h de missão, o tanque de oxigênio número 2 explodiu, fazendo com que o tanque número 1 também falhasse. Isso aconteceu apenas 9 minutos depois que a tripulação havia terminado de gravar um programa de TV de quase 50 minutos mostrando o quão confortável era a nave em que estavam.

A mais de 320 mil km da Terra, no dia 13 de abril, Swigert, piloto do módulo de comando, emitiu uma mensagem ao centro de Controle da Missão dizendo "Houston, we've had a problem here". As luzes indicavam a perda de duas das três células de combustível, que são a principal fonte de eletricidade da nave. O painel também indicava que, além do tanque de oxigênio 2 estar vazio, o tanque 1 estava se esvaziando muito rapidamente.

O áudio da frase famosa pode ser ouvido na conta oficial da Nasa no Soundcloud.

Como voltar para casa

O comandante Lovell, em um depoimento na seção de História da Nasa, contou o que teve de ser feito para que todos conseguissem voltar à Terra em segurança. Ele diz que, sem o apoio da equipe na Terra, ele e seus colegas não teriam sobrevivido e que muito do trabalho feito se deve ao centro de Controle da Missão.

Cerca de meia hora depois da explosão, um dos integrantes olhou pela janela e viu a catástrofe: todo o gás oxigênio do tanque que havia restando estava sendo perdido. Isso indicava que logo eles também perderiam a última célula de combustível. Assim, junto com o Controle de Missão na Terra, começaram a pensar em como voltariam para casa.

Chegou-se à conclusão que a equipe ia ter que usar o módulo lunar para voltar à Terra. Para isso, vários testes tiveram que ser feitos em simuladores da Nasa na hora, antes de passar as orientações à equipe de voo. Era preciso saber a qual altitude a cápsula poderia se desprender para que eles voltassem para casa em segurança e o mais rápido possível. Também tiveram que fazer uma correção de improviso nos sistemas da nave para reduzir os níveis de gás carbônico.

Faltando apenas 15 minutos no módulo de comando, a equipe foi para o módulo lunar. A cápsula, feita para aguentar apenas 45 horas, teria que aguentar 90 horas para voltar à Terra. O oxigênio era suficiente, mas havia muita coisa desnecessária e praticamente tudo foi desligado para economizar energia. A água era um dos maiores problemas e acabou faltando 4 horas para chegar à terra.

Como os sistemas elétricos foram desligados, a equipe passou muito frio. A temperatura chegou a cerca de 3 ºC e era praticamente impossível dormir assim. A tripulação ainda sofreu com fome e sede. Quase chegando, a equipe saiu do módulo lunar e pousou suavemente no Oceano Pacífico.

Apollo 13

A tripulação da Apollo 13 e o presidente americano Richard Nixon depois dos astronautas voltarem à Terra. Foto: Nasa

De volta à Terra

Lovell conta que, desde a Apollo 13, muitas pessoas perguntam se eles não tem "pílulas de suicídio" à bordo. Ele disse que eles não tinham e que nunca ouviu falar de algo do tipo nos 11 anos em que foi astronauta e executivo da Nasa.

Ele também disse que, apesar de ter pensado na possibilidade de morrer na órbita da Terra, os três astronautas não falaram nisso em nenhum momento. "Acho que nós estávamos muito ocupados lutando pela sobrevivência", disse. "Sobrevivemos, mas foi por pouco".

As investigações indicaram que a explosão foi causada por várias mudanças feitas no módulo de comando que aumentaram a tensão dos aquecedores nos tanques de oxigênio.