NASA mantém cronograma dos primeiros voos do Programa Artemis rumo à Lua

NASA mantém cronograma dos primeiros voos do Programa Artemis rumo à Lua

Por Daniele Cavalcante | 02 de Abril de 2020 às 14h40
Astrobotic

No final de janeiro, a NASA falou sobre as primeiras entregas de cargas à Lua através de duas espaçonaves desenvolvidas por empresas privadas, o que dará o pontapé inicial ao Programa Artemis - aquele que pretende levar novos astronautas para lá em 2024. Embora a epidemia de COVID-19 tenha paralisado várias atividades científicas e interrompido algumas missões no espaço, o cronograma desses lançamentos segue inalterado.

Serão, no total, 16 experimentos científicos e demonstrações de tecnologias da NASA, programados para serem enviados à Lua dentro dos módulos de pouso Peregrine e Nova-C, veículos construídos pelas companhias privadas Astrobotic e Intuitive Machines LLC, respectivamente. Ambas as empresas contratadas concordaram em realizar a missão no terceiro trimestre de 2021. No entanto, a pandemia do novo coronavírus ainda deixa a agenda sujeita a alterações.

Conceito de módulo lunar da Astrobotic (Imagem: NASA/Astrobotic)

A NASA comunicou que ambas as empresas estão operando completamente no modo de trabalho remoto, e ainda estão avaliando o que podem e o que não podem fazer no momento. Ainda assim, as cargas da NASA não correm o risco de perder a data programada para seus lançamentos - pelo menos por enquanto. Três desses equipamentos que estão sendo preparados sofrem atualmente um “impacto mínimo” com as medidas de proteção contra a COVID-19.

Quer ficar por dentro das melhores notícias de tecnologia do dia? Acesse e se inscreva no nosso novo canal no youtube, o Canaltech News. Todos os dias um resumo das principais notícias do mundo tech para você!

Já as demais cargas estão no ponto em que o trabalho será suspenso. No entanto, a NASA não pensa que essas pausas vão interferir nas datas de lançamento, pois o cronograma conta com uma margem de tempo considerando imprevistos do tipo.

Um fator que pode causar algum atraso, contudo, é a necessidade de testar os instrumentos em instalações especializadas, coisa que por enquanto não pode ser feita por causa das paralisações. A NASA, no entanto, está observando isso atentamente, e conta com a margem no cronograma para resolver o problema.

Esses instrumentos científicos estudarão a química dos materiais no regolito lunar que os astronautas poderão usar, o ambiente de radiação e a química da exosfera da Lua. Os módulos também vão realizar experimentos que testarão a navegação autônoma na órbita e na superfície lunar, além de fazer experimentos de comunicação.

Fonte: Space.com

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.