Mais 2 satélites são lançados para ampliar o sistema de navegação Galileo

Mais 2 satélites são lançados para ampliar o sistema de navegação Galileo

Por Wyllian Torres | Editado por Patrícia Gnipper | 06 de Dezembro de 2021 às 14h20
ESA/P.Carril

Mais dois satélites da constelação europeia Galileo foram lançados neste último dia 5 a bordo do foguete Soyuz, a partir da Guiana Francesa. Agora, o sistema de navegação por satélite soma 26 satélites em órbita, fornecendo um serviço de posicionamento mais preciso do mundo para mais de 2,3 bilhões de clientes.

Os satélites 27 e 28, da constelação Galileo, passarão as próximas duas semanas realizando manobras para ajustar suas posições na órbita terrestre, a aproximadamente 23 mil km de altitude. Além disso, seus sistemas serão verificados antes que o trabalho oficial seja iniciado.

Ilustração dos satélites Galileo 27 e 28 no estágio superior do foguete Soyuz (Imagem: Reprodução/ESA/P. Carril)

Esta verificação de sistema é conhecida como Fase de Lançamento e Operações Antecipadas (LEOP, na sigla em inglês). Graças a Agência Espacial Europeia (ESA), estes procedimentos agora passam a ser realizados no centro de controle da constelação na própria Alemanha.

O diretor de operações da Agência da União Europeia para o Programa Espacial (EUSPA, na sigla em inglês), Pascal Claudel, disse que a recente atualização do segmento de controle de solo permite que os controladores supervisionem mais satélites ao mesmo tempo.

Aprimorando os satélites

Os dois satélites Galileo lançados são os primeiros de um total de 12 de primeira geração, uma versão aprimorada do design de capacidade operacional da frota. Cada um deles é fabricado e testado pela OHB, na Alemanha, com cargas úteis de navegação.

Implantação dos satélites Galileo 27 e 28, cerca de 4 horas após decolagem (Imagem: Reprodução/ESA/P.Carril)

Antes do recente lançamento, os dois satélites passaram por rigorosos testes para voos espaciais no Centro de Testes ESTEC da ESA, na Holanda. Mais seis satélites Galileo estão armazenados no local até serem levados à Guiana Francesa.

Os 10 satélites restantes, serão lançados ao longo dos próximos três anos. O objetivo é que os satélites de navegação mais avançados, poderosos e totalmente reconfiguráveis, conhecidos como Galileo de segunda geração (G2G), sejam lançados em seguida.

Os satélites Galileo são posicionados em órbita para garantir que pelo menos 4 deles estejam visíveis aos usuários de qualquer lugar do planeta (Imagem: Reprodução/ESA/P. Carril)

Atualmente a ESA trabalha no desenvolvimento dos satélites G2G através da indústria europeia. Especificamente, a partir de dois consórcios distintos para garantir a competitividade, segundo a agência. O primeiro laçamento segue previsto para 2024.

O Galileo é o sistema de navegação por satélite mais preciso do mundo até o momento e atende mais de 2 bilhões de usuários na Terra. O programa é gerido e financiado pela União Europeia, através da parceria entre ESA, EUSPA e Comissão Europeia.

Fonte: ESA

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.