Local de pouso do Perseverance recebe o nome da escritora Otavia E. Butler

Por Wyllian Torres | 10 de Março de 2021 às 13h00
Joshua Trujillo/AP

Em 18 de fevereiro deste ano, o rover Perseverance, da NASA, pousou na cratera Jezero em Marte, e agora seu local de pouso passa a ser chamado de “Otavia E. Butler Landing” em homenagem à grande escritora de ficção científica Otavia E. Butler. Em seu romance Parábola do Semeador (1993), Butler disse que “Marte é uma rocha — frio, vazio, quase sem ar, morto. Mesmo assim, de certa maneira, é de certa forma o paraíso” — e hoje, quase três décadas depois, se faz ainda mais presente no Planeta Vermelho.

Ao contrário do que muitos pensam, a ficção científica serve como um grande palco de simulações da realidade humana. Butler foi a primeira mulher afro-americana a receber os Prêmios Hugo e Nebula, ambos voltados para a literatura de ficção e fantasia científica, além de ter sido a primeira escritora a receber o “prêmio de gênio” da Fundação MacArthur. Entre suas obras se destacam Kindred (1979), Bloodchild (1995) e o seu grande sucesso em tom premonitório, Parábola do Semeador — muito parecido com os dias atuais em que as mudanças climáticas somadas às desigualdades sociais assolam a sociedade. A autora faleceu em 2006, aos 58 anos.

Em seu livro Parable of the Talents (1998), sequência da Parábola do Semeador, Butler narra a ascensão de um presidente violento, que promete colocar a América “nos eixos” novamente. A autora ficou conhecida por apresentar em seus livros pautas de temáticas feministas e raciais. Nada mais justo do que suas obras refletissem sua vida e, pela ficção científica, embalar seus leitores em profundas reflexões sobre a sociedade. Uma das cientistas envolvidas no projeto do Perseverance, Katie Stack Morgan, diz: "seu trabalho pioneiro explora temas de raça e igualdade de gênero na humanidade, focando nas experiências de mulheres negras, em uma época em que suas vozes eram muito ausentes da ficção científica".

Bulter em sua casa, 1984 (Imagem: Reprodução/Patti Perret)

Embora a nomeação do local de pouso do Perseverance não seja oficial (pois quem registra os nomes de lugares e objetos do sistema solar é a União Astronômica Internacional), é uma prática comum da NASA homenagear grandes nomes da ficção científica em Marte — a mais recente sendo Butler. Antes dela, o ponto de aterrissagem do rover Curiosity foi chamado de “Bradbury Landing”, em 2012, em memória ao escritor Ray Bradburry. Em 1997, a sonda Mars Pathfinder foi rebatizada como “Carl Sagan Memorial Station”, em homenagem a Carl Sagan, que foi um grande cientista e escritor. Além desses, temos a cratera Wells em homenagem a H.G. Wells, autor do clássico Guerra dos Mundos, e a cratera Heinlein, em referência ao escritor Robert A. Heinlien.

Local de pouso do rover Perseverance (Imagen: Reprodução/NASA/JPL-Caltech/University of Arizona)

Para Morgan, "os protagonistas de Butler incorporam determinação e criatividade fazendo dela uma escolha perfeita para a missão do rover Perseverance e sua temática de superação de desafios. Ela inspirou e influenciou a comunidade científica planetária".

Fonte: The Guardian

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.