Publicidade
Economize: canal oficial do CT Ofertas no WhatsApp Entrar

Hubble detecta planeta do tamanho da Terra a 22 anos-luz de nós

Por| Editado por Patricia Gnipper | 17 de Novembro de 2023 às 10h41

Link copiado!

NASA, ESA, L. Hustak (STScI)
NASA, ESA, L. Hustak (STScI)

Mais um planeta parecido com a Terra foi encontrado. Chamado LTT 1445 Ac, o exoplaneta orbita uma estrela anã vermelha a apenas 22 anos-luz de nós, e foi confirmado como o mundo mais próximo do Sistema Solar. Além de ser rochoso, seu tamanho é semelhante ao da Terra.

LTT 1445 Ac tem 1,37 vez mais massa que a Terra, e é 1,07 vez maior que nosso planeta. Apesar de ser quente demais para abrigar a vida como conhecemos, ele é bem parecido com nosso planeta, o que permite considerá-lo como um análogo do nosso.

Este mundo foi identificado primeiro em 2022 pelo telescópio TESS, da NASA, que já identificou mais de cinco mil exoplanetas candidatos. Ele detecta novos mundos observando pequenas reduções no brilho das estrelas, causadas por objetos (como planetas) passando à frente delas.

Continua após a publicidade

Entretanto, o TESS não tem resolução suficiente para revelar o plano orbital do planeta em relação à estrela e, sem este dado, os cientistas podem estimar incorretamente o diâmetro do mundo em questão. É aqui que entra o telescópio Hubble.

As observações do telescópio mostraram que o planeta faz um trânsito completo pelo disco da estrela, o que indica que é levemente maior que a Terra. Portanto, LTT 1445 Ac parece ser um mundo rochoso, como o nosso, com gravidade na superfície parecida com a terrestre.

A estrela LTT 1445A, a qual ele orbita, faz parte de um sistema de três anãs vermelhas na direção da constelação Eridanus, o Rio Erídano. Parece que o LTT 1445 Ac não a orbita sozinho, mas sim acompanhado por outros dois exoplanetas maiores.

Continua após a publicidade

Emily Pass, coautora do estudo, destaca que as medidas são importantes por revelarem que este provavelmente é um planeta rochoso próximo do nosso. “Esperamos fazer observações de acompanhamento, que vão nos ajudar a entender melhor a diversidade de planetas ao redor de outras estrelas”, destacou.

O artigo que descreve as descobertas foi publicado no repositório arXiv, sem revisão de pares.

Fonte: arXiv; Via: ESA