Foguete atrasado pode postergar cronograma espacial chinês com Lua e Marte

Por Patrícia Gnipper | 24 de Junho de 2019 às 16h49
Xinhua

O programa espacial chinês vem crescendo a passos largos nos últimos anos, com o país tendo planos ambiciosos para se firmar como uma potência espacial, mas o atraso na entrega de um foguete pode significar uma mudança no cronograma das futuras missões chinesas envolvendo a Lua, o planeta Marte, e a nova estação espacial que o país asiático pretende posicionar na órbita da Terra.

O foguete em questão é o Long March 5, o mais poderoso veículo de lançamento da China, projetado para lançar grandes espaçonaves tanto para órbitas geossíncronas, quanto para outros mundos do Sistema Solar. Um terceiro voo com este foguete estava programado agora para o mês de julho, após o fracasso de seu segundo lançamento há dois anos. Contudo, o foguete ainda não foi entregue ao local de lançamento para julho.

Este foguete é essencial para a missão Chang'e 5 rumo à Lua, com o objetivo de colher amostras do solo e depois trazê-las à Terra. Essa missão está, até então, prevista para o final de 2019. Um quinto lançamento já programado para entre o final de julho e o início de agosto de 2020 é justamente a primeira missão chinesa rumo a Marte. Além disso, um outro lançamento de teste também está nos planos para que a China comece a montar sua nova estação espacial ao redor da Terra.

Em abril, um relatório mostrou que o Long March 5 já estava com seus componentes todos prontos para o transporte — processo que leva cerca de duas semanas e meia. No entanto, o transporte ainda não aconteceu, e já estamos na última semana de junho. De acordo com o rastreamento de navios do país, ambos os navios que estão com essa carga acabaram ficando atracados em Jiangyin desde abril, e uma sonda da agência espacial europeia confirmou que ambos os navios ainda estavam lá no mesmo lugar no dia 3 de junho.

Desde então, nada mais foi dito sobre este transporte. De acordo com a previsão de especialistas do setor, se o transporte acontecer imediatamente, o foguete ficará pronto para voar apenas em setembro, provavelmente. E se a janela de lançamento para Marte em 2020 for perdida, outra oportunidade surgirá apenas no final de 2022 devido às danças orbitais entre a Terra e o Planeta Vermelho.

Fonte: Spacenews

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.