Publicidade

EUA alegam que novo satélite da Rússia é arma espacial

Por| Editado por Luciana Zaramela | 21 de Maio de 2024 às 18h53

Link copiado!

DARPA
DARPA

Um satélite da Rússia lançado recentemente pode ser uma arma espacial posicionada estrategicamente na mesma órbita de um satélite de reconhecimento dos Estados Unidos. É o que alegou Robert Wood, representante interino dos EUA em assuntos políticos especiais nas Nações Unidas durante um debate nesta segunda (20). 

Segundo Wood, o lançamento do satélite russo teria acontecido no dia 16 de maio com destino à órbita baixa da Terra. “Os Estados Unidos avaliam que provavelmente é uma arma espacial, que pode ser capaz de atacar outros satélites na órbita baixa”, afirmou. 

Em sua fala, Wood acrescentou que o satélite russo foi liberado na mesma órbita de um do governo dos Estados Unidos. E de fato, a Rússia lançou um foguete Soyuz-2.1b do Cosmódromo de Plesetsk no dia mencionado pelo oficial. A carga útil primária do veículo era o satélite Cosmos 2576. O governo do país não publicou detalhes sobre o satélite e nem sobre a sua missão. 

Continua após a publicidade

Enquanto isso, observadores independentes de satélites perceberam nos dias após o lançamento que o Cosmos 2576 está em uma órbita que tem alguns parâmetros iguais aos do satélite USA 314. Este, por sua vez, parece ser o satélite de reconhecimento em questão. 

Apesar de o Cosmos 2576 estar em uma órbita mais baixa que a do outro objeto, alguns observadores perceberam que o satélite russo Cosmos 2558 foi lançado a uma órbita parecida; depois, ele a aumentou e se aproximou do USA 326, outro satélite norte-americano de reconhecimento.

No entanto, Wood não revelou como o governo estadunidense concluiu que o novo satélite da Rússia é uma arma e nem quais seriam seus recursos. Por outro lado, ele observou que o lançamento “veio após outros lançamentos à órbita baixa de satélites da Rússia que provavelmente vieram de sistemas de contra ataques espaciais em 2019 e 2022”. 

O Canaltech está no WhatsApp!Entre no canal e acompanhe notícias e dicas de tecnologia

Vasily Nebenzya, embaixador da Rússia nas Nações Unidas, comentou brevemente as alegações de Wood. “Agora há pouco, o representante dos Estados Unidos se referiu a algum tipo de satélite que, na opinião dele, de novo, de forma altamente provável, possivelmente, colocou um motor nuclear. Eu nem entendi sobre o que ele estava falando, mas isso não é o importante”, observou. 

Wood não é o único oficial norte-americano que fez observações do tipo sobre os planos da Rússia para o espaço. Em fevereiro, Mike Turner, presidente do Comitê de Inteligência dos Estados Unidos, sugeriu que a Rússia estaria trabalhando em uma arma nuclear espacial. Entretanto, não ficou claro se a suposta arma realmente existia.

Fonte: SpaceNews