Este objeto é leve para um buraco negro e pesado para uma estrela de nêutrons

Por Patrícia Gnipper | 23 de Junho de 2020 às 15h01
SETI

Buracos negros são resultado do colapso de estrelas mais massivas, quando elas sucumbem à própria gravidade no final de suas vidas. Já quando esse processo acontece com estrelas um pouco menos massivas, elas explodem em supernovas e deixam para trás uma "estrela morta" chamada estrela de nêutrons. Mas existe uma lacuna de massa entre um objeto e outro: a estrela de nêutrons mais pesada que já descobrimos não tem mais que 2,5 vezes a massa do Sol, enquanto o buraco negro mais leve conhecido tem cerca de 5 massas solares.

Agora, o pessoal do LIGO (National Science Foundation's Laser Interferometer Gravitational-Wave Observatory) e do detector Virgo, na Europa, anunciou a descoberta de um objeto com 2,6 massas solares. Ou seja: ele fica exatamente na lacuna de massa entre uma estrela de nêutrons e um buraco negro.

O objeto, na verdade, foi descoberto em 2019, quando ele se fundiu com um buraco negro de 23 massas solares, o que gerou ondas gravitacionais que foram detectadas pelos observatórios em questão. A fusão entre esse objeto ainda misterioso com o buraco negro de 23 massas solares resultou em um buraco negro final de cerca de 25 massas solares, com o buraco negro final ficando a cerca de 800 milhões de anos-luz da Terra. Agora, o artigo científico sobre essa descoberta foi enfim publicado no The Astrophysical Journal Letters.

Imagem: LIGO/Caltech/MIT/R. Hurt (IPAC)

"Não sabemos se esse objeto é a estrela de nêutrons mais pesada conhecida, ou o buraco negro mais leve conhecido, mas, de qualquer forma, ele quebra um recorde", disse Vicky Kalogera, coautora do estudo e professora da Universidade Northwestern. E para outro coautor do estudo, Patrick Brady, "isso vai mudar a maneira como os cientistas falam sobre estrelas de nêutrons e buracos negros" ainda que "a diferença de massa pode, de fato, não existir, podendo existir devido a limitações nas capacidades de observação, coisa que o tempo e mais observações dirão".

Kalogera também pontua que "o objeto misterioso pode ser uma estrela de nêutrons que se funde com um buraco negro, o que é uma possibilidade esperada teoricamente, mas ainda não confirmada observacionalmente; no entanto, 2,6 vezes a massa do nosso Sol excede as previsões modernas para a massa máxima de estrelas de nêutrons, e ele pode ser então o buraco negro mais leve já detectado".

Fonte: LIGO

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.