Eis a íntegra do discurso secreto dos EUA caso a Apollo 11 acabasse em tragédia

Por Patrícia Gnipper | 18 de Julho de 2019 às 14h29
NASA
Tudo sobre

NASA

Saiba tudo sobre NASA

Ver mais

Em 1969, quando os Estados Unidos e a NASA estavam nos preparativos finais para lançar a Apollo 11, missão cinquentenária que marcou o primeiro pouso da humanidade na Lua, a Casa Branca preparou dois discursos que já estariam "na gaveta" para serem lidos ao vivo a todo o mundo após a missão: um enaltecendo e comemorando a vitória, e outro lamentando uma tragédia.

O segundo discurso trágico foi elaborado apenas por precaução; afinal, se os astronautas por alguma razão não sobrevivessem na superfície lunar, o país teria prontamente as palavras certas no papel para providenciar uma coletiva o quanto antes.

O então presidente Richard Nixon foi quem elaborou o discurso, contando com seu escritor William Safire, sob o título de "Em caso de um desastre lunar" (In Event of Moon Disaster, no original em inglês) O texto se dirige pessoalmente às futuras viúvas de Neil Armstrong e Buzz Aldrin, bem como à nação estadunidense em geral. De acordo com Safire, se os astronautas não conseguissem sair da Lua e retornar à Terra, eles seriam condenados a uma morte por inanição, e sua única opção para evitar tanto sofrimento seria o suicídio, com Michael Collins, piloto do módulo de comando, retornando ao planeta sozinho e amargurado.

Viagens espaciais são sempre perigosas, mesmo nos dias de hoje, após tantas experiências desde as missões Apollo anteriores à 11, quando astronautas saíram do planeta para orbitar tanto a Terra, quanto a Lua. Contudo, a Apollo 11 foi a primeira vez em que humanos não somente pousaram em outro mundo, como também fizeram o caminho de volta — ou seja, muita coisa poderia dar errado caso o módulo lunar tivesse algum problema na hora de levantar voo. Nenhum resgate emergencial estava de prontidão.

O discurso de Safire e Nixon nunca chegou a ser lido oficialmente. Quando a missão retornou vitoriosa, o registro foi guardado no arquivo oficial do governo dos EUA, e lá ficou desde então. Contudo, você pode ver o arquivo original digitalizado aqui; e abaixo, traduzimos o texto na íntegra:

EM CASO DE DESASTRE NA LUA

O destino ordenou que os homens que foram à Lua para explorar em paz, fiquem na Lua para descansar em paz.

Esses bravos homens, Neil Armstrong e Edwin Aldrin, sabem que não há esperança para sua recuperação. Mas eles também sabem que há esperança para a humanidade pelo seu sacrifício.

Esses dois homens estão dedicando suas vidas ao objetivo mais nobre da humanidade: a busca pela verdade e pelo entendimento.

Eles serão lamentados por suas famílias e amigos; eles serão lamentados pela sua nação; eles serão lamentados pelas pessoas do mundo; eles serão lamentados por uma Mãe Terra que ousou enviar dois de seus filhos para o desconhecido.

Em sua exploração, eles incitaram as pessoas do mundo a se sentirem como uma só; em seu sacrifício, eles unem mais firmemente a irmandade dos homens.

Antigamente, os homens olhavam para as estrelas e viam seus heróis nas constelações. Nos tempos modernos, fazemos o mesmo, mas nossos heróis são homens épicos, de carne e osso.

Outros seguirão e certamente encontrarão o caminho de casa. A pesquisa do homem não será em vão. Mas esses homens foram os primeiros e eles permanecerão os principais em nossos corações.

Todo ser humano que olha para a Lua nas noites que estão por vir saberá que, em algum canto de outro mundo, existirá para sempre a humanidade.

Fonte: Discover Magazine

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.