Publicidade
Economize: canal oficial do CT Ofertas no WhatsApp Entrar

Eclipse solar: veja as melhores fotos do evento astronômico

Por| Editado por Luciana Zaramela | 08 de Abril de 2024 às 18h07

Link copiado!

Justin Dickey/Unsplash
Justin Dickey/Unsplash

A Lua ocultou o Sol nesta segunda-feira (8) e formou um eclipse solar. Quem estava em uma faixa estreita, que passou pelo México, Estados Unidos e Canadá, pôde conferir um eclipse solar do tipo total; fora dela, observadores na América Central e do Norte viram o fenômeno do tipo parcial, em que parte do disco solar é oculta pelo Sol. 

O evento foi visto primeiro na cidade de Mazatlán, no México, às 15h07 no horário de Brasília, e a totalidade durou quatro minutos e 20 segundos. Já nos Estados Unidos, os moradores de Kerrville, no Texas, foram os primeiros a ver o Sol completamente oculto pela Lua. Por lá, o fenômeno começou às 15h32. 

Na cidade de Oakfield, no estado de Maine, foi uma das últimas a experimentar a totalidade do eclipse nos Estados Unidos. Em seguida, o fenômeno ficou visível nas Cataratas do Niágara, no Canadá, às 16h18. 

Continua após a publicidade

Os eclipses solares totais acontecem quando a Lua fica entre o Sol e a Terra, escondendo completamente o nosso astro. Quando isso ocorre, o dia escurece por alguns minutos, como se estivéssemos no amanhecer ou anoitecer. 

Aliás, vale a pena aproveitar os eclipses solares, já que eles não vão acontecer para sempre. Para um eclipse solar total acontecer, a Lua e o Sol precisam ter tamanhos aparentes iguais, e devem também estar alinhados com a Terra. 

Só que a Lua está se afastando de nós, e vai chegar um momento no futuro em que o tamanho aparente dela não vai mais ser semelhante ao do Sol. Isso significa que a sombra lunar não vai mais ocultar totalmente o astro, fazendo com que os eclipses solares sejam só do tipo parcial e anular. A boa notícia é que vai levar cerca de 600 milhões de anos para isso acontecer.

Fotos do eclipse solar 

Infelizmente, o eclipse solar total desta segunda-feira (8) não foi visível do Brasil, mas você pode conferir o fenômeno nas fotos abaixo. 

Continua após a publicidade