Disquetes de instalação do Windows 95 são encontrados na ISS

Disquetes de instalação do Windows 95 são encontrados na ISS

Por Patrícia Gnipper | 21 de Novembro de 2018 às 23h00
Alexander Gerst/ESA

Não é só a sua casa que tem armários e gavetas "da bagunça" que, quando abertos, revelam relíquias de um passado não muito distante, mas que já são extremamente obsoletas. O mesmo acontece, por incrível que pareça, na Estação Espacial Internacional (ISS), que serve como moradia temporária para grupos periódicos de astronautas desde a virada do século.

Alexander Gerst, astronauta da ESA (a agência espacial europeia), atualmente vive na ISS. Em seu Twitter, ele conta que abriu um armário que, obviamente, não era usado há muito tempo, e ali descobriu uma pasta repleta de disquetes antigos; entre eles, disquetes do Windows 95, com um deles contendo o Norton Utilities para Windows 95/98.

Quer ficar por dentro das melhores notícias de tecnologia do dia? Acesse e se inscreva no nosso novo canal no youtube, o Canaltech News. Todos os dias um resumo das principais notícias do mundo tech para você!

Alguns dos discos, inclusive, estão intitulados como "Crew Personal Support Data Disk" (algo como "Disco de Dados de Suporte Pessoal da Tripulação"), contendo os nomes Shep e Sergei neles. Shep deve, então, ser o astronauta da NASA William Shepherd, enquanto Sergei deve ser o cosmonauta russo Sergei Krikalev, ambos membros da Expedition 1 — a primeira missão tripulada que viajou à ISS no ano 2000.

A descoberta traz à tona muitas memórias saudosas em pessoas que viveram a turbulenta, porém divertida, época da rápida evolução da computação pessoal na década de 1990, e também serve como um lembrete do legado da ISS, que acabou de completar 20 anos de existência

E, encerrando esta notícia com uma curiosidade para quem não viveu aquela época de ouro: para instalar o Windows 95 em seu PC, eram precisos 13 disquetes de 3,5 polegadas (também conhecidos como Floppy Disks). Cada um desses discos tinha capacidade de armazenar apenas 1,44 MB — o que, para os padrões de hoje, é tão ínfimo que nem parece que, na época, eram a unidade padrão de armazenamento que todo mundo usava.

Fonte: CNet

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.