Publicidade

Detritos de cometa podem estar ligados ao fim deste povo pré-colombiano

Por| Editado por Patricia Gnipper | 03 de Fevereiro de 2022 às 14h10

Link copiado!

NASA
NASA

Detritos de um cometa próximo à Terra podem estar relacionados ao declínio da cultura Hopewell, uma civilização nativa pré-colombiana que viveu onde hoje é o leste dos EUA, há mais de 1.500 anos. Segundo um estudo liderado pela University of Cincinnati, uma explosão de ar produzida pelos fragmentos teria abalado profundamente o meio ambiente da região.

Por muitos anos, o fim da cultura Hopewell tem sido relacionado a guerras a mudanças climáticas. No entanto, o novo estudo fornece pistas para outra explicação: a explosão na atmosfera provocada pela entrada dos detritos cometários.

Continua após a publicidade

A equipe realizou investigações em 11 sítios arqueológicos na região de Hopewell, cuja área abrange três estados norte-americanos. Os pesquisadores encontraram quantidades incomuns de irídio e platina durante suas escavações, indicando fragmentos de meteoritos.

De acordo com a hipótese da equipe, os detritos de um cometa que passava próximo à Terra teriam atingindo as comunidades de Hopewell, produzindo uma explosão de ar com efeitos profundos e potencialmente devastadores ao meio ambiente.

A explicação se baseia em fragmentos de meteoritos em joias e instrumentos a cultura Hopewell, além do que folclore parece descrever. “Os Miami falam de uma serpente com chifres que voou pelo céu e jogou pedras na terra antes de cair no rio”, disse o antropólogo Kenneth Tankersley, principal autor do estudo.

Continua após a publicidade
O Canaltech está no WhatsApp!Entre no canal e acompanhe notícias e dicas de tecnologia

Impressão digital dos meteoritos

Os micrometeoritos restantes do evento explosivo podem revelar a origem deles. "Eventos cósmicos como asteróides e explosões de cometas deixam para trás grandes quantidades de um elemento raro conhecido como platina", acrescentou Tankersley.

No entanto, como a platina também pode ser encontrada em erupções vulcânicas, a equipe procurou outro sinal raro relacionado a um evento fora da Terra, como o irídio, encontrado em crateras de impacto desses fragmentos espaciais. Então, a equipe analisou as amostras para identificar a composição delas.

Continua após a publicidade

Além disso, o material coletado foi datado através das técnicas de carbono-14 e datação tipológica. A idade estimada para o evento foi entre 252 d.C e 383 d.C., período em que registros históricos mostram a passagem de 69 cometas próximos à Terra durante essa época. A explosão teria provocado um incêndio que se estendeu por 23.828 km quadrados.

Agora, a equipe analisará cuidadosamente o pólen daquela época, aprisionado nos sedimentos, para confirmar ou não o evento explosivo. Mas os pesquisadores ressaltaram que ainda há muitas perguntas sem respostas.

A pesquisa foi relatada na Scientific Reports.

Fonte: Scientific Reports, Via ScienceAlert