Publicidade

Destaque da NASA: Nebulosa da Caverna é a foto astronômica do dia

Por| Editado por Patricia Gnipper | 10 de Janeiro de 2024 às 19h06

Link copiado!

Gábor Galambos
Gábor Galambos

Nesta quarta-feira (9), o site Astronomy Picture of the Day (APOD) destacou uma foto da Nebulosa da Caverna, uma região de emissão localizada a cerca de 2.400 anos-luz de distância. Também há outros objetos próximos, como a nebulosa de reflexão vdB 155.

A Nebulosa da Caverna, oficialmente catalogada como Sharpless (Sh) 155, já apareceu no APOD antes, em uma foto feita por Anthony Quintile. Agora, o astrofotógrafo Gábor Galambos trouxe uma visão completamente diferente do mesmo objeto.

Na foto de hoje, as estrelas na região em direção à constelação de Cefeu ganham maior destaque em comparação à anterior, de 2022. Essa é uma faixa da Via Láctea bastante rica em nebulosas nas quais as estrelas nascem com certa frequência.

Continua após a publicidade

Essas cores avermelhadas são formadas pela luz das estrelas jovens e quentes a cerca de 10 anos-luz de distância dali, que emitem radiação ultravioleta abundante para ionizar os componentes da nebulosa. Já a vdB 155, à esquerda, é uma nebulosa de reflexão.

Por fim, a grande mancha que obscurece as regiões coloridas é resultado de nuvens de poeiras densas demais para que a luz visível conseguir atravessar, enquanto a mancha avermelhada no canto superior esquerdo revela uma estrela Herbig-Haro 168.

Nebulosas de reflexão

Continua após a publicidade

Como o próprio nome indica, as nebulosas de reflexão são aquelas que refletem a luz de uma estrela próxima. Geralmente, suas cores são azuladas; isso ocorre porque o comprimento de onda da luz azul permite que seja refletida mais facilmente nas partículas da poeira.

As diferenças entre as nebulosas de reflexão e de emissão podem ser pequenas. As primeiras são iluminadas por estrelas do tipo B; elas são bastante brilhantes, mas não emitem tanta luz ultravioleta. Já as nebulosas de emissão recebem a radiação de estrelas tipo O, que são capazes de ionizar o hidrogênio.

Fonte: APOD