Publicidade

Destaque da NASA: galáxia com braços "extras" é foto astronômica do dia

Por| Editado por Luciana Zaramela | 22 de Fevereiro de 2024 às 13h06

Link copiado!

Kyunghoon Lim
Kyunghoon Lim

A foto astronômica destacada pela NASA nesta quinta-feira (22) no site Astronomy Picture of the Day traz a beleza de Messier 106 (ou apenas M106). Esta é uma grande galáxia do tipo espiral encontrada perto da constelação Canes Venatici, os Cães de Caça. 

Também chamada de NGC 4258, a galáxia fica a 23,5 milhões de anos-luz e mede cerca de 80 mil anos-luz de extensão — para comparação, considere que a Via Láctea tem diâmetro de 180 anos-luz. Por isso, M106 é o maior membro do grupo de galáxias Canes II. 

Continua após a publicidade

Na foto, Messier 106 aparece junto da galáxia NGC 4217, também do tipo espiral. Ela pode ser encontrada no canto inferior direito da foto. Como a vemos quase perfeitamente na lateral, esta galáxia é um ótimo objeto para estudos da poeira acima e abaixo dos planos galácticos.

Ela conta com várias estruturas de partículas, e algumas chegam a até 7 mil anos-luz do plano central. Ao estudá-las, os astrônomos podem identificar os mecanismos por trás da liberação de gás e poeira no plano central das galáxias. 

Galáxia M106

A galáxia M106 foi descoberta em 1781 não pelo astrônomo francês Charles Messier, mas sim por Pierre Méchain, seu assistente. Como ela é relativamente brilhante, pode ser vista com um telescópio pequeno; contudo, instrumentos mais poderosos são necessários para revelar seus detalhes.

Continua após a publicidade

Apesar de ser do tipo espiral, M106 tem um par extra de braços, característica pouco comum nas galáxias deste tipo. Ao contrário do que ocorreu nos outros da sua estrutura, a dupla de braços é feita principalmente de gás quente, não de estrelas.

A origem destas estruturas ainda não está clara, mas é possível que estejam relacionadas ao buraco negro supermassivo no centro da galáxia. Neste caso, elas teriam sido formadas a partir do movimento da matéria ao redor do buraco negro.

Fonte: APOD