Publicidade

Destaque da NASA: estrela e nuvens cósmicas são foto astronômica do dia

Por| Editado por Luciana Zaramela | 31 de Maio de 2024 às 15h03

Link copiado!

Xin Long
Xin Long

A foto destacada pela NASA nesta sexta (31) traz uma nuvem cósmica colorida e brilhante visível em direção à constelação de Cygnus, o Cisne. A nebulosa repleta de hidrogênio e oxigênio gasosos e ionizados presentes ali cercam a estrela WR 134. 

O clique foi feito por Xin Long, e mostra uma região equivalente a duas vezes o diâmetro da Lua na fase cheia. O complexo de nuvens interestelares é formado por arcos brilhantes, feitos da estrutura expelida pela estrela WR 134.

Encontrar a estrela na foto é bem fácil. É só procurar o astro mais brilhante, visível perto da parte central da imagem. 

Continua após a publicidade

Confira: 

Os astrônomos estimam que a estrela WR 134 fica a cerca de seis mil anos-luz da Terra. Na foto, ela aparece em meio a uma área que mede mais de 100 anos-luz de extensão. 

Estrelas deste tipo são massivas, e costumam expelir suas camadas mais externas com a ajuda de ventos estelares poderosos.

O Canaltech está no WhatsApp!Entre no canal e acompanhe notícias e dicas de tecnologia

Estes ventos, combinados com as explosões de supernovas, distribuem elementos pesados pelo meio interestelar. Depois, gerações futuras de estrelas vão incorporar tais elementos.  

Estrelas Wolf-Rayet

A estrela WR 134 é do tipo Wolf-Rayet. Elas são conhecidas por serem estrelas massivas em etapas avançadas dos seus ciclos, que perdem massa em um ritmo bastante acelerado. Portanto, elas têm “vidas” intensas e breves, e como encerram seus ciclos rapidamente, são consideradas objetos raros.

Estrelas deste tipo costumam ter temperatura de 25.000 K — para comparação, considere que a superfície do Sol mede cerca de 5.800 K. Além disso, as estrelas Wolf-Rayet podem ser pelo menos um milhão de vezes mais brilhantes que o nosso astro.

Continua após a publicidade

Os astrônomos estimam que existem cerca de 220 estrelas Wolf-Rayet na Via Láctea, nossa galáxia. Só que, talvez, tais estrelas existam aos milhares, mas nem todas foram encontradas porque podem estar escondidas por nuvens de poeira. 

Fonte: APOD