Coreia do Sul quer pousar nave na Lua em 2030 — e usando foguete próprio

Coreia do Sul quer pousar nave na Lua em 2030 — e usando foguete próprio

Por Danielle Cassita | Editado por Patrícia Gnipper | 26 de Março de 2021 às 14h00
viledevil/Envato

Durante um discurso feito nesta quinta-feira (25), Moon Jae-in, presidente da Coreia do Sul, afirmou ter votado para que o primeiro lander lunar robótico do país seja lançado por volta de 2030, com um foguete desenvolvido nacionalmente. Moon também afirmou que há estudos em andamento para o envio de uma espaçonave para o asteroide Apophis, que fez uma breve passagem perto da Terra no início de março — e retornará em 2029.

Antes do discurso, Moon comentou que o KSLV-2, o primeiro veículo de lançamentos espaciais do país, passou pela terceira rodada de testes de combustão em seus primeiros estágios. O teste durou cerca de dois minutos, e não indicou problemas aparentes com a durabilidade dos motores. Futuramente, o foguete de três estágios poderá levar satélites de 1,5 tonelada para a órbita baixa da Terra, e deve passar por um lançamento de demonstração em outubro.

Representação artística do veículo KSLV-2 (Imagem: Reprodução/Korea Aerospace Research Institute)

Durante sua apresentação, Moon revelou os novos objetivos de exploração espacial e outros projetos relacionados, abordando também as capacidades sul-coreanas de desenvolvimento espacial: “vamos avançar ativamente para projetos desafiadores de exploração do espaço, que sejam construídos sobre a base proporcionada pelo veículo de lançamento coreano”, disse. Segundo ele, o país planeja pousar seu lander na Lua por volta de 2030, com um veículo próprio.

Assim, com a tecnologia e experiência adquiridas na missão, o país terá uma base sólida para avançar em seus projetos de desenvolvimento espacial. Este foi o primeiro discurso feito publicamente por Moon sobre o assunto desde quando assumiu o cargo, em maio de 2017. A fala do presidente ocorreu três dias depois de o satélite sul-coreano CAS500-1, voltado para o sensoriamento remoto, ser lançado para a órbita a bordo de um foguete Soyuz. De acordo com ele, o governo irá investir em diversas iniciativas para construir um ecossistema industrial inovador, capaz de alimentar grandes empresas globais do setor, como a SpaceX.

Moon destacou os esforços empregados para o desenvolvimento de sistemas de satélites do país que possam competir internacionalmente: “continuaremos desenvolvendo a tecnologia com o estabelecimento de uma rede piloto de satélites de comunicação para inaugurar a era do 6G, um sistema de satélites de navegação que será essencial para a indústria de veículos e drones e, por fim, um sistema de nanoconstelação, para fortalecer nossa defesa nacional em relação ao espaço”, finalizou.

Fonte: SpaceNews

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.