Começa a construção de telescópio 10 vezes mais capaz que o Hubble

Por Rafael Arbulu | 20 de Agosto de 2018 às 17h19
GMTO (Divulgação)

Abra espaço, Hubble: tem um novo xerife na cidade. O Consórcio GMTO Corporation inaugurou o início das construções do seu “Giant Magellan Telescope”ou, simplesmente, GMT, para pesquisas voltadas ao descobrimento de exoplanetas e a viabilidade de vida alienígena no espaço sideral. E é melhor abrir bastante espaço: estimativas dizem que, quando pronto em 2024, o GMT terá 22 andares de altura e 56 metros de largura, sustentados por uma estrutura telescópica de 1.000 toneladas.

O projeto está em construção na região montanhosa do Deserto do Atacama, no Chile, dentro do Observatório de Las Campanas. Representantes do projeto que falaram ao Business Insider dizem que, uma vez finalizado, o telescópio será capaz de produzir imagens até 10 vezes mais definidas do que aquelas vindas do Hubble, o telescópio da NASA e, ao menos por enquanto, tido como o mais avançado do mundo.

Piadas do início do texto à parte, a ideia não é competir com o seu irmão mais velho: o GMT buscará evidências de vida alienígena — ou, pelo menos, da viabilidade dela — nas áreas mais profundas do espaço. Se muito, o GMT e o Hubble serão usados em parceria na identificação do que a Astronomia chama de “exoplanetas”, ou seja, planetas que orbitam outras estrelas que não o Sol e, consequentemente, residem em sistemas solares diferentes do nosso. Isso com o auxílio de suas lentes espelhadas de pouco mais de oito metros de largura e pesando, cada uma, cerca de 20 toneladas. Quase o tamanho de uma quadra de basquete, para efeito comparativo.

O GMT também usará sistemas ópticos adaptáveis, que prometem corrigir distorções causadas pela atmosfera terrestre, fornecendo imagens mais próximas da realidade.

A construção do GMT tem custo previsto de US$ 1 bilhão e foi especificamente pensada na região chilena pois, segundo o consenso da comunidade astronômica, as áreas mais altas do Deserto do Atacama oferecem céu limpo, livre de nuvens e interferências por quase todo o ano, sendo assim um hotspot para pesquisas do setor. Veja abaixo uma galeria com mais imagens do projeto e renderizações em 3D do telescópio, cortesia do time da GMTO.

Fonte: Business Insider; GMTO website

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.